Artigo de dom walmor

“Com fé na política” é um programa da Arquidiocese de Belo Horizonte no âmbito do seu Projeto Arquidiocesano de Evangelização, ‘Igreja viva, sempre em missão’.  O programa número dez do Projeto Arquidiocesano de Evangelização, pela articulação da ação social e política, assume o compromisso de incrementar uma atuação mais profética na sociedade. O horizonte largo deste compromisso profético inclui investimentos para que as pessoas participem mais efetivamente das organizações e ações nas políticas públicas, evitando o assistencialismo e a pulverização de iniciativas. Trata-se do empenho para que cresçam os investimentos e a manutenção de grupos de Fé e Política.

De modo especial, envolve a indicação de ações que permitam o acompanhamento, assessoria e diálogo com os cidadãos católicos que estão no mundo da política, atuando no executivo ou no legislativo nas instâncias municipais, estadual e federal. Este programa, “Com fé na Política”, uma resposta concreta às demandas exigentes do compromisso profético da Igreja, é um esforço articulado do Vicariato Episcopal para Ação Social e Política, instância articuladora de toda a política social da instituição a serviço da vida. Junto está o Núcleo de Estudos Sociopolíticos, dedicado ao estudo, pesquisa e debates, mantido no coração da academia, a PUC Minas. E também o Conselho Arquidiocesano Pró-Vida, que tem a missão de refletir e discutir as questões sobre a defesa e a promoção da vida.

Estas instâncias da Arquidiocese de Belo Horizonte enfrentam o enorme desafio de impulsionar a retomada e o crescimento da profecia na Igreja – sempre articuladas com o caminho e o horizonte que definem o compromisso profético de toda a Igreja no Brasil e no mundo. Na Arquidiocese de Belo Horizonte, estas três instâncias têm responsabilidades e conquistas importantes: a defesa e proteção da vida, a promoção com lucidez e eficácia da interface forte e intrínseca entre fé e política. Os objetivos são o de possibilitar interação maior entre os agentes dos mundos político e os da evangelização, discutindo políticas públicas, oferecendo encontros e eventos formativos, garantindo a vivência da espiritualidade – indispensável para uma atuação coerente e mais eficaz. As ações do “Com fé na política” abrangem o acompanhamento dos Legislativos Municipal e Estadual, o Parlamento, espiritualidade, assessorias para fomentar as discussões e conquista de clarezas a respeito de encaminhamentos que devem visar o bem da sociedade no seu conjunto.

É indispensável disponibilizar assessorias especializadas em torno de temáticas e questões complexas presentes na pauta das discussões contemporâneas. Ora, comprometida a fundamentação e a clareza acerca de questões que são debatidas sabe-se do risco, com prejuízos incalculáveis, para escolhas inadequadas e legislações pouco lúcidas na direção do bem comum, da justiça e da paz. O programa “Com fé na Política” não é constituição de bancada. O programa quer, em diálogo aberto e articulado, ser um qualificado suporte aos fiéis leigos no seu compromisso político, expressão afirmativa e exigente do seu compromisso cristão a serviço dos outros, como ensina a Doutrina Social da Igreja n. 566: “Os encargos de responsabilidade nas instituições sociais e políticas exigem um empenho severo e articulado, que saiba evidenciar, com as contributos de reflexão do debate político, com o planejamento e com as opções operativas, a absoluta necessidade de uma qualificação moral da vida social e política.”

O descrédito em relação à política precisa ser recuperado com contribuições coerentes de modo que, como é próprio, por meio da política se instaure um ordenamento social mais justo e coerente com a dignidade humana. O Papa Bento XVI, na sua Carta Encíclica, Deus é amor, n. 28, lembra que a justa ordem da sociedade e do Estado é dever central da política. Ainda, “a justiça é o objetivo e, consequentemente, também a medida intrínseca de toda a política. Que é mais que uma simples técnica para a definição de ordenamentos públicos: a sua origem e o seu objetivo estão precisamente na justiça, e esta é de natureza ética.” Em questão está, pois, a justiça, e como realizá-la.

O Papa Bento XVI diz que aqui se tocam fé e política, possibilidade de superar a cegueira ética derivada da prevalência do interesse e do poder. A fé, encontro com o Deus vivo, alarga horizontes e produz clarividência para além da própria razão. Também diz: “A sociedade justa não pode ser obra da Igreja; deve ser realizada pela política. Mas, toca à Igreja, e profundamente, o empenhar-se pela justiça trabalhando para a abertura da inteligência e da vontade às exigências do bem.” A fé interpela o cristão no mundo da política levando-o a entender que sua Igreja é “advogada da justiça e defensora dos pobres”, na expressão do Papa. Esta é a aposta: “Com fé na política”.

Dom Walmor Oliveira de Azevedo
Arcebispo metropolitano de Belo Horizonte