Você está em:

Retornando da cidade de Aparecida, onde participou da 56ª Assembleia Geral dos Bispos, dom Walmor celebrou Missa, no dia 22, às 8h, no Santuário Basílica Nossa Senhora da Piedade.

No dia 23, segunda-feira, o Arcebispo reúne-se com a diretoria de instituições da Arquidiocese de Belo Horizonte.

Na terça e quarta-feira, dias 24 e 25, dom Walmor preside assembleias e reuniões com instituições da Arquidiocese. Ainda na quarta-feira, dom Walmor preside a reunião do Conselho Episcopal.

O Arcebispo reúne-se, na quinta-feira, dia 26, com os responsáveis pelos projetos de sustentabilidade das ações sociais da Arquidiocese.

Nos estúdios da Rede Catedral de Comunicação Católica, dom Walmor grava os programas de rádio e televisão Encontro com o Pastor e Mãe Maria. Os programas são transmitidos pelas emissoras da Arquidiocese de Belo Horizonte: TV Horizonte e Rádio América (AM 750), e por rádios e TVs católicas de todo o Brasil.

No sábado, dia 28, as comunidades da Paróquia Jesus Missionário recebem a visita pastoral de dom Walmor. O Arcebispo, com os fiéis das comunidades de fé da Paróquia, partilha momentos de oração e fraternidade.

De volta de Aparecida, onde participou da 56ª Assembleia Geral da CNBB, dom Mol dedica-se a atendimentos na Região Episcopal Nossa Senhora da Esperança.

O bispo auxiliar, ao longo da semana, participa de reuniões na reitoria da PUC Minas.

Na quarta-feira, dom Mol participa do Conselho Episcopal, no Palácio Cristo Rei.

Na Paróquia Nossa Senhora Auxiliadora, o bispo crismou jovens que participavam do curso de preparação para o Sacramento da Confirmação.

No dia 23 de abril, às 19h, dom Edson preside Missa, na Festa de São Jorge, na paróquia dedicada ao santo, no bairro Jardim América.

Na manhã de terça-feira, dia 24 de abril, o Bispo participa do Encontro promovido pela Pastoral Presbiteral da RENSC, com os padres da maturidade em Sabará. À tarde, participa das Assembleias Institucionais.

Na quarta-feira, dia 25, pela manhã, dom Edson participa da Reunião do Conselho Episcopal na Cúria Metropolitana e, às 19h30, preside inauguração do Auditório da Paróquia Nossa Senhora da Divina Providência, bairro São Luiz.

Na manhã de quinta-feira, dia 26, participa da reunião no Palácio Cristo Rei e à tarde dedica-se aos atendimentos na Cúria da Região Episcopal Nossa Senhora da Conceição (RENSC).

Na tarde de sexta-feira, dia 27, dom Edson participa da reunião da Pastoral Arquidiocesana do Dízimo, na Cúria Metropolitana.

Sábado, dia 28 de abril, pela manhã, o Bispo participa da Assembleia Regional de Liturgia, na PUC São Gabriel. Às 19h, preside Celebração do Crisma na Paróquia Sagrada Família de Nazaré, em Ribeirão das Neves.

Dom Edson preside Celebração do Crisma, na manhã de domingo, dia 29 de abril, 8h e 10h, na Paróquia Nossa Senhora de Guadalupe, bairro Céu Azul. Às 18h, preside Celebração do Crisma na Paróquia Bom Jesus e Nossa Senhora Aparecida, na Comunidade Bom Jesus, em Santa Luzia.

No dia 24, dom Geovane grava o programa “Alegria do Evangelho” na Rádio América, emissora da Rede Catedral de Comunicação Católica. Às 18h15, preside Celebração Eucarística no Santuário Arquidiocesano de Adoração Perpétua, Paróquia Nossa Senhora da Boa Viagem.

O bispo participa de reunião com os bispos na Cúria Metropolitana, no dia 25, quarta-feira. À tarde, dedica-se a atendimentos na sede da Cúria da Região Episcopal Nossa Senhora da Piedade.

Na quinta-feira, dia 26, dom Geovane dedica-se a atendimentos na Cúria Metropolitana.

Sexta-feira, pela manhã, dom Geovane se reúne com os funcionários do Tribunal Eclesiástico da Arquidiocese de Belo Horizonte.

Sábado, dia 28, participa da Assembleia Regional de Liturgia da Região Episcopal Nossa Senhora da Conceição. Às 18h30, preside celebração eucarística na Paróquia Menino Jesus.

Dom Geovane, no dia 29, domingo, celebra Missa e novena na Paróquia São José Operário. Às 18h, preside celebração eucarística no Seminário São José em Mariana – MG.

Na manhã desta terça-feira, 24 de abril, dom Otacílio participa da reunião da Forania Cristo Luz dos Povos, no Colégio Salesiano, em Belo Horizonte.

Na quinta-feira, 26 de abril, o bispo auxiliar da Arquidiocese de Belo Horizonte estará presente à reunião da Forania Nossa Senhora do Sagrado Coração, na Paróquia Jesus Operário, em Contagem. À noite, acompanha o curso Igreja e Sociedade, na Forania São Paulo da Cruz, na região do Barreiro.

No domingo, 29 de abril, dom Otacílio preside Missa e confere o Sacramento da Crisma na Paróquia Maria, Estrela da evangelização, às 9h30. À noite, celebra Missa e confere o Sacramento da Crisma na Paróquia Santa Clara e São Francisco, em Belo Horizonte, às 19h30.

Dom Vicente Ferreira visita a Igreja Histórica Paróquia Nossa Senhora da Piedade nesta segunda-feira, onde também preside reunião sobre assuntos administrativos.

Na terça-feira, dia 24, a partir das 14h, o bispo dedica-se a atendimentos na Mitra Arquidiocesana. Às 20h celebra promessas definitivas das irmãs da Comunidade Shalom, na Igreja de Lourdes

Quarta-feira, dia 25, a partir das 9h, o Bispo se reúne com o Conselho Episcopal, no Palácio Cristo Rei.

Dia 26, quinta-feira, a partir das 9h, dom Vicente participa de reunião no Memorial Arquidiocesano.

Na sexta-feira, dia 27, dedica-se a atendimentos no Vicariato Especial para a Ação Missionária, no Vale Paraopeba.

Na Cúria da Região Episcopal Nossa Senhora Aparecida, dom Vicente conduz reunião com a juventude, no sábado dia 28, às 9h. Às 17h, celebra com as famílias Sacerdotais dom José Maria Pires, na cidade de Sarzedo.

No domingo, dia 29 de abril, a partir das 8h30, dom Vicente ministra o Encontro dos Institutos Seculares do Regional Leste 2, Minas e Espírito Santo, com palestra e celebração na Sede do Instituto Secular Unitas-Brasil.

Às 17h, o bispo preside celebração na Igreja do Sagrado Coração de Jesus, durante o Encontrão do Apostolado da Oração, no bairro São Conrado, em Brumadinho.

Você está em:

Sínodo para a Amazônia: mulheres e Igreja, tutela e missão

A presença fundamental da mulher na Igreja foi um dos temas candentes da coletiva na Sala de Imprensa da Santa Sé esta quarta-feira (23/10) sobre o Sínodo dedicado à Região Pan-Amazônica.

Sábado (26/10), a votação do documento final do Sínodo para a Amazônia, em sua última semana de trabalhos. O prefeito do Dicastério para a Comunicação, Paolo Ruffini, falou sobre o andamento da Assembleia sinodal na coletiva desta quarta-feira (23/10) na Sala de Imprensa da Santa Sé.

Na segunda e terça-feira, os círculos menores elaboraram as propostas; o relator geral e os secretários especiais as inseriram com a ajuda dos especialistas. A Comissão de redação revê o texto que, depois, será apresentado na Sala do Sínodo para as votações.

Trata-se de um texto que será depois confiado ao último discernimento do Papa, explicou o secretário da Comissão para a Informação, Pe. Giacomo Costa. Ruffini evidenciou também o chamado à sinodalidade e à ação do Espírito Santo evocados pelo Papa na manhã desta quarta-feira na audiência geral.

Entre os relatores, quem primeiro tomou a palavra durante a coletiva de imprensa foi uma mulher, Irmã Roselei Bertoldo, da Congregação das Irmãs do Coração Imaculado de Maria e da Rede “Um grito pela Vida”. Uma vida, a sua vida, dedicada a erradicar o tráfico de pessoas, especialmente de mulheres e crianças, no Brasil.

Um dos maiores problemas é o da “servidão doméstica”, quando as meninas são levadas embora da comunidade indígena para estudar fora e acabam, ao invés, sendo exploradas sexualmente e levadas a trabalhar em situação “de escravidão”.

Com paixão e amor, Irmã Roselei denunciou que o corpo destas mulheres e meninas se torna uma mercadoria e ressaltou que é difícil denunciar. Por isso, a Rede na qual ela trabalha faz, em primeiro lugar, uma campanha para ajudar a reconhecer uma situação de abuso, para depois formar as pessoas colocando-as em condições de denunciar.

O Sínodo para a Amazônia chama a atenção também sobre esse drama e, ressaltou a religiosa, o compromisso com a evangelização parte também da tutela da vida. Respondendo a uma pergunta, ressaltou ainda a importância da participação das mulheres inclusive a nível de decisões.

“A presença das mulheres na Igreja é maioria, mas nos âmbitos de decisão é minoria, quase invisível”. O bispo de Potosí e presidente da Conferência Episcopal da Bolívia, dom Ricardo Ernesto Centellas Guzmán, em sua fala exortou a um maior envolvimento das mulheres nos processos de decisão na Igreja, partindo das paróquias.

Em particular, contou a experiência de uma agente pastoral em sua diocese, que como mulher tem uma abordagem diferente em relação ao homem: pede sugestões, permitindo a participação. Uma Igreja sinodal significa não somente “caminhar juntos”, mas também “decidir juntos”.

Se a autoridade de governo, na Igreja, é masculina, a atividade pastoral é preponderantemente feminina, ressaltou em seguida o reitor do Seminário São José de Manaus e vice-presidente da Organização dos Seminários e Institutos do Brasil, padre Zenildo Lima da Silva.

O foco de sua intervenção foi a formação dos presbíteros e a sua exortação foi a repensar o processo partindo da sinodalidade. É preciso formar sacerdotes capazes de trabalhar na realidade da Amazônia e de dialogar com essas culturas. Evidenciou, também no que concerne à comunicação, a importância de colocar-se num processo de escuta e diálogo.

O mundo andino, o Chade, a floresta do Peru. Vários lugares visitados pelo vigário apostólico de Jaén no Peru o San Francisco Javier, dom Gilberto Alfredo Vizcarra Mori, jesuíta. De suas palavras, o desejo de aproximar-se de outras culturas, e a experiência da qual falou foi de enriquecimento.

Preparou-se para este Sínodo indo viver na selva peruana com essas comunidades. Ressaltou que esses povos se sentem parte do bioma e não donos da beleza da criação e exortou, em seguida, a readquirir o viver em harmonia com a natureza, aprendendo propriamente com eles.

Uma grande experiência de aprendizagem. Com essas palavras, o arcebispo de Mumbai (Ex-Bombaim), na Índia, cardeal Oswald Gracias, sintetizou sua vivência destes dias no Sínodo.

Além da grande violência contra a natureza, o cardeal se disse impressionado com as injustiças contra os indígenas da Amazônia, expulsos de suas casas, unindo esta situação à das castas na Índia e das tribos expulsas de suas terras, embora “em nosso caso”, explicou, seja “menos sistemático”.

Mas o que mais o impressionou foi sobretudo “a paixão” com a qual os bispos amazônicos buscam ajudar esses povos: “O mundo tem muito a aprender” com os bispos da América do Sul, afirmou.

No que diz respeito às mulheres, ressaltou que “o Direito canônico e a própria teologia” permitem fazer mais pelas mulheres na Igreja, e no concernente à inculturação, evidenciou a importância de se ter métodos de formação inculturados nos seminários. Por fim, também ele se deteve sobre a sinodalidade, destacando a importância de “caminhar todos juntos”.