Você está em:

Viver a vocação e a missão a partir de Jesus Cristo

 

Na edição anterior, realizamos um grande encontro com Bíblia. Olhamos um pouco para dentro dela e descobrimos que as Escrituras nos ajudam em muitas coisas  no nosso dia-dia.

São Paulo nos diz que a Bíblia foi escrita: para ensinar, refutar, para corrigir, para educar na justiça (2Tm 3,16). Lendo-a, nós entendemos melhor o projeto de Deus para a nossa vida humana.

Os Evangelhos nos dão a grande notícia: Cristo ressuscitou. Neles encontramos as experiências e reflexões das primeiras comunidades sobre Jesus Cristo: sua pessoa, palavras, gestos e atitudes. Também as várias cartas que descrevem a vida e os conflitos das comunidades cristãs.

Jesus deixa grande exemplo ensinando-nos, por meio de sua pedagogia, como a palavra ilumina a vida. Percorrendo o caminho bíblico encontramo-nos com o Mestre, o mistagogo, o pedagogo, aquele que é o primeiro Sacramento de Deus, o educador da humanidade.

O chamado para ser discípulo no mundo de hoje

Para cumprir nossa missão com responsabilidade pessoal, doutrinal, pastoral, espiritual e, ainda, para dar testemunho de Cristo e dos valores do Reino no ambiente em que nos encontramos, com suas dimensões social, econômica, política e cultural, ela, a formação se faz necessária. Trata-se de uma formação contínua, permanente, que caminha junto com a realidade que se transforma a cada dia.

Nesse sentido, a formação espiritual deve ocupar lugar privilegiado na vida de cada um, chamado a crescer na intimidade com Jesus Cristo, na conformidade com a vontade do Pai, na dedicação aos irmãos, na caridade e na justiça.

A formação Biblico-litúrgico-doutrinal dos fieis leigos é importante não só no sentido de aprofundar a própria fé, mas pela exigência de despertar as pessoas para o mundo e seus problemas; de levar aos outros novo sentido de vida e provocá-los para uma reflexão que ajude a responder às interrogações que atormentam o homem e a sociedade de hoje.

O povo de Deus na missão evangelizadora

Todo o povo de Deus – agente destinatários da Boa Nova da Salvação – é chamado por Cristo como Igreja, a exercer no mundo uma tarefa evangelizadora. Assim como no passado, o ordenamento de Jesus também é dirigido ao povo de hoje, convidando-o à missão: “Ide e fazei que todas as nações se tornem discípulas, batizando-as em nome do Pai, do Filho e do Espírito Santo e ensinando-as a observar tudo quanto vos ordenei. E eis que estou convosco todos os dias, até a consumação dos séculos!” (Mt 28,19-20). Este é o convite de Jesus. E, devido às urgências presentes no momento, a Igreja, continuadora das ações de Jesus, convida todos a peregrinar com ela na missão que nos é dada. Que todos os leigos sejam protagonistas da nova evangelização, da promoção humana e da cultura cristã.

Que os batizados não evangelizados sejam os principais destinatários da nova evangelização. E essa missão só será concretizada quando todos os batizados responderem ao chamado de Cristo e se converterem em protagonistas da ação evangelizadora. Mas, para que isto aconteça, os leigos precisam estar bem estruturados com uma formação permanente e comprometidos com o Reino de Deus.

 

Neuza Silveira de Souza
Coordenadora da Comissão Arquidiocesana Bíblico-Catequética de BH