Você está em:

Encontro com Deus na história de cada dia

 

Apresento aqui uma proposta para se fazer a experiência de Deus no decorrer de um dia. Não significa que é para se passar um dia rezando – o que também pode ser feito – mas visa, antes, ser um itinerário para todos os dias. Cada passo pode ser ainda experienciado com mais ênfase, dependendo do momento do dia ou do momento da vida de cada um. Daí poder tornar-se um exercício constante.

 

 

Iniciando o caminho…

 

“Deus se deixa encontrar por aqueles que o procuram”. (Frei Prudente Nery)
A Espiritualidade Apostólica pede de nós atenção permanente e especial aos sinais da presença de Deus. É um exercício constante de perscrutar os passos de Deus no caminhar da história. Deus se deixa encontrar e se revela em todas as situações: de vida e de morte, de pobreza e riqueza, de fé e incertezas. No decorrer de um dia podemos experimentar as manifestações dessa presença misteriosa e amorosa.

 

“Senhor, tu me sondas e me conheces… meus caminhos são todos familiares a ti. Se subo aos céus, tu aí estás. Se me deito no abismo, aí te encontro” (Sl 139, 1. 2b.8)

 

Contudo, algumas atitudes são imprescindíveis se quisermos realizar um encontro com Deus, no decorrer de um dia de nossa vida. Essas atitudes, podemos cultivá-las a partir de um desejo de abertura, acolhimento e de uma busca de resposta obediente e amorosa.

 

“Senhor, tu me sondas e me conheces… meus caminhos são todos familiares a ti. Se subo aos céus, tu aí estás. Se me deito no abismo, aí te encontro”

(Sl 139, 1. 2b.8)

Primeiro Momento: Manhã
Atitudes: Abertura – oferta – esperança

 

  • Faço um pequeno exercício de respiração, tomando consciência da vida que habita em mim. Dou-me conta dos sentimentos que me invadem neste momento. Acolho-os como num abraço.
     
  • Invoco a presença transformadora do Espírito Santo de Deus. Peço-lhe que habite e fecunde a terra do meu coração. (Posso utilizar uma canção de fundo).
  • Rezo o Salmo 139: “Senhor, tu me sondas e me conheces…”, ou outro.
     
  • Experimento a mão carinhosa e terna de Deus que me guia e acompanha.
     
  • Peço ao Senhor o dom da abertura de coração, a generosidade e olhos abertos para estar atento aos sinais de sua presença no decorrer do dia que tenho pela frente.

Pela manhã, coloque-se diante de Deus e diga: “Bendize-nos e bendize este dia que começa”. E então, trate este dia inteiro como um dom de Deus e considere-se a si mesmo como o enviado de Deus a esse algo desconhecido que é o novo dia. Isso quer dizer, simplesmente, algo muito difícil: que nada do que ocorra nesse dia seja estranho à vontade de Deus; tudo, sem exceção, é uma situação na qual Deus colocou você para que ali se perceba sua presença, sua caridade, sua compaixão, sua inteligência criadora, sua valentia… E, por outro lado, cada vez que você encontra uma situação, você  age conforme  Deus o colocou nela para realizar a tarefa do cristão, para ser um fragmento do Corpo de Cristo, uma ação de Deus. (Mons. Antônio Blum, 1967).

Busque internalizar todas as atitudes proposostas nos dias que se seguem e acompanhe na próxima edição o Segundo Momento -Tarde.

 

Vanderlei Soela
Espiritualidade Apostólica Marista
Belo Horizonte / Brasil