Você está em:

Um dia diante de ti (2) – Encontro com Deus na história de cada dia

Encontro com Deus na história de cada dia

No Primeiro Momento desta proposta de experiência com Deus em um dia, trabalhamos atitudes imprescindíveis para se atingir o objetivo desejado: abertura, oferta e esperança. Nesta etapa, propomos que pelo menos outras três atitudes orientem e animem o apóstolo de Jesus durante sua jornada. Podemos cultivá-las a partir do acolhimento e de uma busca de resposta obediente e amorosa.

 

Segundo Momento: Tarde
Atitudes: deixar-se guiar-prestar atenção-confiança

 

Deixar-se Guiar

É a atitude de continuar o processo iniciado pela manhã ( que vimos na edição anterior). A abertura ao Espírito Santo e o gesto de oferta vão nos colocar em sintonia com Deus, que se manifesta ao longo  de todo o dia. Daí não ser necessário carregar nenhum roteiro para fazer experiência de Deus, mas estar atento aos inúmeros sinais de sua presença. Então…

 

Busque estar em constante sintonia com o Espírito de Deus: presente, atuante, libertador, bondoso. Sinta-se em suas mãos, guiado por Ele. É o Espírito que “chega antes de nós, que trabalha mais e melhor do que nós, que joga sempre sua partida como vencedor”. É o Espírito que caminha junto, que anima, envolve e inspira.

Deixar-se guiar pelo Espírito…

  • É fazer, como Abraão, um caminho de fé em meio às incertezas e inseguranças do futuro.(Gn12,1-9).
  • É a atitude de Moisés que, apesar do medo e das resistências de seu coração, assume o projeto libertador de Deus para o povo (Ex 3,1-10).
  • É a atenção do jovem Samuel que busca, em meio a tantas vozes, discernir a voz de Deus e colocar-se à sua disposição (1 Sam 3,1-21).
  • É deixar-se levar, como Elias, a um lugar especial para receber o sopro de Deus e iluminar os ruídos, as lutas e as perseguições do dia a dia e renovar o zelo pelas coisas do Senhor (1Rs 19,1-18).
  • É fazer a experiência de Jesus que se deixou conduzir pelo deserto para escutar Deus falar ao seu coração, superar as contradições, vencer o mal e dispor-se a ser presença viva dele no meio do povo (Mt 4, 1s).
  • É colocar-se com confiança nas mãos de Deus, como Maria, no intuito de perceber e viver sua vontade, no decorrer do caminho, e colaborar no projeto salvífico (Lc 1,26-38).
  • Enfim, é a atitude dos discípulos de Jesus que, tocados pelo Espírito, recriam os ânimos, a coragem, o vigor e tornam-se destemidos na missão de anunciar as maravilhas de Deus, como o Mestre o fez (At 2,1-36).

 

Tome um desses textos cada dia e deixe-se orientar pelas atitudes aí presentes.

Confiança

Uma atitude fundamental para ser cultivada no decorrer do dia é a do profeta Jeremias, que se vê como um barro nas mãos do oleiro e se deixa modelar por suas mãos. Vaso frágil, que pode romper-se, mas que ganha a forma que o oleiro lhe quer dar. É Deus modelando a nossa história e a história do mundo. Veja: Jer 18,1-6.

 

Prestar Atenção

Essa é a atitude básica do Apóstolo de Jesus. Completa assim um conjunto de atitudes fundamentais que podem muito ajudar a fazer experiência de Deus na vida.

 

Se Deus se revela, se deixa encontrar, se manifesta em tudo e em todos; se o Espírito Santo chega antes de nós e trabalha mais e melhor do que nós, então o que nos resta fazer? Qual é a nossa parte?

 

  • É preciso cultivar um olhar novo e límpido, transparente, capaz de ver as coisas, os acontecimentos e as pessoas a partir do coração. Olhar o mundo com os olhos e o coração de Deus. “Ver traços eternos em paisagens diárias”. É cultivar a capacidade de maravilhar-se, deixar-se tocar…
  • É preciso treinar a atenção para perceber a presença de Deus e seus apelos. Prestar atenção aos sinais dessa presença, discernir, escutar e intuir obedientemente uma resposta. Só um olhar límpido e transparente, livre de preconceitos e desejoso de ver, e um coração atento são capazes de perceber, de dar-se conta dos passos de Deus nas experiências do cotidiano.

 

Prestar atenção em quê?

 

  • Aos inúmeros e diferentes rostos. Olhe-os atentamente. Observe a fisionomia de cada pessoa que Deus coloca em seu caminho. Faça silêncio diante do mistério de cada um e de cada uma.
  • Nos rostos desfigurados. Contemple tantos rostos sofridos, que são a expressão do abandono, da exclusão, do egoísmo, da fome, do pecado. Que apelos eles te fazem? Como tu os acolhes na mente e no coração?
  • Nas crianças e jovens. Observe como eles transmitem vida e esperança. Acolha-os em teu coração. Renove tua esperança…
  • Na natureza. Contemple a beleza da criação, as cores, os movimentos, a vida que pulsa. Observe também os sinais de destruição. Sinta-se chamado a cuidar…
  • Nas obras humanas. Deixe-se tocar pela capacidade de criar do ser humano. Contemple as obras de arte simples e complexas. Deixe-se mover de admiração pela capacidade criativa, de construir beleza, de facilitar a vida das pessoas. Que apelos você sente diante de tudo isso? Quanta coisa bonita o ser humano é capaz de criar!
  • Nos sinais de morte. Também aí Deus tem uma mensagem. Esses sinais estão mesclados com os sinais de vida, porém tendem a aparecer com mais evidência. Estão no coração humano, estão também impregnados nas estruturas que matam. Sinta os apelos de Deus…
    Deixe-se iluminar pelas palavras de Jesus: leia Mateus 16,1-4

Na próxima semana, publicaremos a terceira e última etapa desta  proposta de experiência de Deus em um dia:  Terceiro Momento – Noite.
 

Vanderlei Soela
Espiritualidade Apostólica Marista