Você está em:

 “Não foram vocês que me escolheram, mas fui eu que escolhi vocês. Eu os destinei para ir e dar fruto, e para que o fruto de vocês permaneça”                                         (Jo 15,16).

Em minha história vocacional, eu experimento viva essa Palavra de Jesus e percebo a ação amorosa e providente de Deus que me conduziu para tornar-me religiosa: uma “Pequena Irmã da Divina Providência”. Eu era ainda criança quando, pela primeira vez, ouvi falar de consagração a Deus na Vida Religiosa; nem entendia o que isso significava. Mas, quando me tornei jovem e fui entendendo diferentes possibilidades para uma vida realizada e feliz, optei por seguir Jesus Cristo, nas pegadas da Bem-aventurada Teresa Grillo Michel – uma mulher que soube difundir a fé, a esperança e a caridade entre os mais necessitados, no abandono filial à Divina Providência e em comunhão com Jesus Eucarístico.

Em Jesus Cristo, muito me encanta a sua kénosis, isto é, a sua liberdade de “descer”. Deus Filho, Jesus de Nazaré, assume a Encarnação em profunda liberdade (Fl 2,6-8). Ele não se apega à sua igualdade com Deus, mas esvazia-se, torna-se servo, semelhante aos homens, humilha-se e faz-se obediente até a morte de cruz. Jesus desce ao mais “profundo poço” da condição humana. Ele arma sua tenda em nossa história (Jo 1,14) e a todos oferece a vida em plenitude (Jo 10,10).

A vida e a missão de Jesus é uma constante descida ao encontro das pessoas, em sua realidade existencial e social (doentes, paralíticos, cegos, dominados pelo demônio e pela lei, apegados aos bens materiais) tornando-as pessoas livres. Descer ao encontro daquele que sofre, sensibilizar-se pelo clamor do outro, lutar pela libertação do oprimido são atitudes que exigem verdadeira liberdade interior. O cristão livre e libertado por Cristo é chamado a expandir o amor que se dispõe ao serviço de todos (Gl 5,13).
 

Bem-aventurada Teresa Michel

Com Jesus e como Jesus, nós, Pequenas Irmãs da Divina Providência, procuramos buscar o último lugar desejando ser apenas servas dos pobres e dos pequenos, como nossa Madre Teresa Michel que tanto aspirava que fôssemos mães e irmãs amorosas dos mais necessitados. Com este ideal, procuramos nutrir nossa vida de “Pequenas Irmãs” na Palavra de Deus, na Oração e na Eucaristia, fortalecendo nossos laços fraternos pelo acolhimento mútuo e na construção de uma comunidade plena de calor humano.

O carisma de Madre Teresa Michel representa um caminho simples de vida cristã, em união com as igrejas locais, caracterizada pela pobreza pessoal, abandono à Divina Providência, vida familiar na comunidade, adoração de Jesus na Eucaristia, meditação da Palavra de Deus e pela maternidade espiritual para com os mais pobres.

Estamos presentes na Itália, Brasil, Argentina, Índia, África e Polônia dedicando-nos aos mais pobres, humildes, sofredores e marginalizados; na assistência a enfermos, deficientes físicos e psíquicos; na educação humano-cristã de crianças, jovens e adultos; na pastoral em paróquias e movimentos da Igreja,  ao homem do campo, ao operário, ao migrante e ao encarcerado e junto à família; na formação de agentes de pastoral; no anúncio do Evangelho, em regiões estritamente missionárias.

Ir. Maria de Lourdes Augusta, pidp