Você está em:

Tráfico de pessoas – GTs encaminham contribuições à Secretaria Nacional de Justiça

O 1º Encontro Nacional da Rede de Enfrentamento do Tráfico de Pessoas, promovido pela Secretaria Nacional de Justiça e realizado em Belo Horizonte nesta semana traçou importantes diretrizes para o combate a este tipo de crime. Os grupos de trabalho presentes identificaram a necessidade de se constituir núcleos de enfrentamento ao tráfico de pessoas em todos os estados brasileiros, tipificar na legislação brasileira o crime de trafico de pessoas, além de constituir comitês estaduais com participação paritária entre os diversos agentes sociais que atuam neste campo.

Este primeiro encontro marcou a primeira manifestação pública do Grupo de Trabalho de Enfrentamento do Tráfico de Pessoas criado pela CNBB. Diversos segmentos da Igreja estiveram no evento, como a Conferência dos Religiosos do Brasil (CRB), o Setor Mobilidade Humana da Conferência Nacional dos Bispos do Brasil (CNBB), a Pastoral dos Nômades e Intinerantes e Pastoral da Mulher Marginalizada.

Cerca de 180 pessoas, de diversos órgãos do Estado Brasileiro e da sociedade civil estiveram reunidas neste 1º Encontro. Na plenária final ficou como encaminhamento o envio das contribuições de cada grupo de trabalho à Secretaria Nacional de Justiça. De acordo com o pesquisador do Instituto de Migrações e Direitos Humanos (IMDH), Willian César de Andrade, o evento foi uma oportunidade de diálogo e troca de experiências. “Para nós que estamos no grupo de trabalho de enfrentamento ao tráfico de pessoas, recentemente instalado pela CNBB, essa foi uma oportunidade de troca de experiências e diálogo. Tenho certeza que repercutirá positivamente nos trabalhos deste GT”.