Você está em:

 

Cada vez que converso no Skype, experimento um pequeno milagre.

Antes da internet, o contato com as pessoas era difícil e caro.

A Terra era grande, e o mundo, pequeno. A internet encurtou distâncias e diminuiu o tamanho da Terra. A Terra ficou pequena.

A distância geografica diminuiu sua importância. A Terra tem o tamanho da tela do computador (ou do telefone).

O mundo, apesar disso, não ficou necessariamente maior. Pode encolher, ou pode diminuir, de acordo com a vontade de cada um.

Finalmente podemos controlar o tamanho do mundo em que vivemos, ou que escolhemos perceber.

A internet fez isso. Ela o tornou elástico, maleável.

O tamanho do mundo de cada um depende somente daquilo que cada um de nós escolhe ser: surfista ou navegador.

Ser surfista é encontrar as pessoas que estão na mesma onda. Relacionar-se com quem compartilhamos ideias e valores em comum.

Interagir com seus semelhantes.

Surfar possibilita a escolha e adoção de uma ou algumas opções a partir de um enorme acesso a diferentes culturas, estilos de vida e ideias. Isso cria comunidades, dá coesão social, e viabiliza a diversidade.

A tecnologia hoje nos permite encontrar nossos iguais.

É reconfortante.

O navegador, ao contrario do surfista, procura pessoas e ideias diferentes. Busca a diversidade e com ela interage. Assim, a tecnologia permite que o navegante produza o novo, o inesperado.

A criação do novo vem sempre da interação e integração de ideias e pessoas diferentes. A diversidade é a mãe da criatividade.

Navegar é buscar aventuras, novas ideias, colocar em discussão novos conceitos, debater com quem pensa diferente. É desafiar as ideias dos outros e aceitar que as suas proprias sejam desafiadas.

É exercitar a criatividade.

Desta interação entre ideias diferentes nasce o novo. Navegar faz o ser humano evoluir.

A tecnologia nos liberta da geografia e nos torna responsáveis por nossas escolhas de relacionamento, ideias e comportamento. Podemos ser surfistas, navegadores ou um pouco de cada um, dependendo das circunstâncias.

Surfar e navegar não são opostos, mas sim complementares.

Surfar ajuda a criar comunidades e navegar ajuda a comunicação entre essas comunidades. Surfar ajuda a criar e reforçar as ideias, os laços e os valores que nos fazem humanos.

Navegar ajuda o intercâmbio dessas ideias e valores de maneira a criar o novo e a alimentar a criatividade.

Surfar é importante. Navegar é preciso.

Elton Simões/Blog do Noblat
Formado em Direito (PUC),
em Administração de Empresas (FVG)
MBA (INSEAD), com Mestrado em Resolução de Conflitos (Univesity of Victoria)