Você está em:

Saudação ao novo Arcebispo de Montes Claros: Dom João Justino de Medeiros Silva

O arcebispo dom Walmor, os bispos auxiliares dom Joaquim Mol, dom Edson Oriolo, dom Geovane Luís, dom Otacilio de Lacerda, dom Vicente Ferreira e todo o clero da Arquidiocese de Belo Horizonte cumprimentam dom João Justino de Medeiros Silva,  nomeado arcebispo de Montes Claros (MG), pelo Papa Francisco, na manhã desta quarta-feira, 21 de novembro.

Dom João Justino foi bispo auxiliar na Arquidiocese de Belo Horizonte no período de 2012 a 2017,  sendo transferido para Montes Claros, onde passou a exercer a função de arcebispo coadjutor. Sucede a dom José Alberto Moura, que apresentou sua renúncia ao governo pastoral por motivo de idade, em conformidade com o Cânon 401 §1º do Código de Direito Canônico.

 

Dom João Justino de Medeiros Silva

Doutor e mestre em Teologia, pela Universidade Gregoriana de Roma, dom João Justino de Medeiros Silva iniciou sua formação no Seminário Arquidiocesano Santo Antônio, em Juiz de fora, no ano de 1984 onde cursou Filosofia e Teologia. Graduou-se em Ciências Sociais pela Universidade Federal de Juiz de Fora e em Pedagogia pelo Centro de Ensino Superior de Juiz de Fora (CES/JF). Foi perito da Comissão Episcopal para a Doutrina da Fé da CNBB. Na Arquidiocese de Juiz de Fora, foi Vigário Episcopal para a Cultura, Educação e Juventude e secretário do Colégio de Consultores. Atuou como professor e coordenador do curso de Teologia do CES/JF. Em 2004, tornou-se reitor do Seminário Arquidiocesano de Juiz de Fora (MG). Na cidade mineira, também foi pároco solidário na Paróquia Nossa Senhora da Conceição de Benfica e Paróquia do Bom Pastor. Também foi Vigário Paroquial na Paróquia de São Pedro.

Dom João Justino nasceu no dia 22 de dezembro de 1966 em Juiz de Fora (MG). Foi ordenado padre em 13 de dezembro de 1992. O Papa Bento XVI o nomeou bispo auxiliar da Arquidiocese de Belo Horizonte no dia 21 de dezembro de 2011. Dom João Justino recebeu a ordenação episcopal no dia 11 de fevereiro de 2012, na Catedral de Santo Antônio, em Juiz de Fora (MG).

Em 2015, dom João Justino foi eleito presidente da Comissão Episcopal Pastoral para a Cultura e Educação da Conferência Nacional dos Bispos do Brasil (CNBB) e membro do Conselho Episcopal Pastoral (Consep). Também foi eleito presidente da Comissão Episcopal para a Educação, do Regional Leste 2 da CNBB (Minas e Espírito Santo). Em março de 2016,  foi nomeado membro da Comissão de Cultura e Educação do Setor Universidades do Conselho Episcopal Latino-americano (Celam), responsável pelas pastorais de Educação e Cultura no Cone Sul. Em 2017, o Papa Francisco o nomeou arcebispo coadjutor de Montes Claros (MG).

 

Dom José Alberto Moura

Natural de Ituiutaba, Minas Gerais, dom Alberto nasceu no dia 23 de outubro de 1943. Pertence à Congregação dos Sagrados Estigmas de Nosso Senhor Jesus Cristo, de carisma missionário, onde fez a primeira profissão religiosa, em 9 de dezembro de 1964. Em 1971 foi ordenado padre. Tornou-se bispo no ano de 1990 ainda no pontificado do papa João Paulo II.

Nos primeiros dois anos exerceu a função de bispo coadjutor, com direito à sucessão automática, de dom Frei Estevão Cardoso Avelar, na diocese de Uberlândia. Depois assumiu o governo pastoral até fevereiro de 2007, quando a Santa Sé, já sob o governo do Papa Bento XVI, transferiu-o para a arquidiocese de Montes Claros, na condição de sucessor de dom Geraldo Majela de Castro, hoje arcebispo emérito. No dia 29 de junho de 2007, pouco mais de dois meses após sua posse, dom José Alberto recebeu das mãos do Papa  Bento XVI, em Roma, Itália, o Pálio – insígnia que credencia os arcebispos. Dom José Alberto foi presidente do regional Leste 2 da Conferência Nacional dos Bispos do Brasil e bispo referencial para a Pastoral da Saúde.