Você está em:

Santuário de Santa Luzia: Celebração reúne fé e tradição

Moradores católicos de Santa Luzia, na Grande BH, participam, na noite desta sexta-feira (12) – a última que antecede a Semana Santa –, da procissão da Encomendação das Almas. O cortejo saiu do Santuário da Matriz, na Rua Direita, em direção ao Cemitério do Carmo, logo após o último dia do Setenário das Dores. Presidindo as cerimônias do Setenário das Dores, com cânticos e ladainha em latim para “meditar” sobre as sete dores de Nossa Senhora, o titular da Paróquia Santa Luzia, em Santa Luzia, padre Felipe Lemos, explicou que a Encomendação das Almas remonta ao período colonial em Minas e veio de Portugal com os colonizadores.

Padre Felipe adiantou que no domingo de ramos, a partir das 19h30, estará de volta o Ofício de Trevas. Outra novidade está na Caminhada Penitencial, na sexta-feira da Paixão, com início às 5h, sendo levada a imagem de Nossa Senhora das Dores no andor. “Esperamos que as pessoas gostem e possamos manter vivas essas tradições tão antigas e belas”, afirmou padre Felipe.

Segundo pesquisa do integrante do Instituto Histórico e Geográfico de Minas Gerais (IHGMG), Adalberto Mateus, a procissão das Almas é uma tradição muito antiga, herdada dos tempos da Idade Média e que era realizada na última sexta-feira da quaresma. Também denominado Encomendação das Almas, o cortejo retorna às ruas da cidade vizinha a BH após um período de mais de 100 anos de interrupção, como iniciativa do pároco.

Conforme Adalberto Mateus, também presidente da Associação Cultural Comunitária de Santa Luzia, o cortejo, no século 19, tinha “um caráter macabro que chamava atenção, e os mais antigos a cidade o consideravam sui generis, tanto pela hora de realização (exatamente à meia-noite) como pelas vestes dos participantes que usavam mantas e capuzes brancos.

Tendo à frente a Confraria das Almas, diz o pesquisador, “somente os homens podiam participar da procissão que, saindo da Matriz ou do Cemitério do Carmo, terminava na antiga Cruz das Almas, atual Praça Ari Teixeira da Costa.

Reprodução: Estado de Minas

Confira a Celebração do Solene Ofício das Trevas.

Confira o Sermão do Encontro, presidido por dom Vicente.