Você está em:

[Artigo] Proclamar e testemunhar o Evangelho na Cidade – dom Otacilio de Lacerda, bispo auxiliar da Arquidiocese de BH


Jamais poderemos nos tornar indiferentes aos desafios da Evangelização na Cidade em que moramos. Porém, ainda que tão grandes sejam, não serão maiores que a força e a imensurável graça divina que nos acompanha.

Como discípulos missionários do Senhor, precisamos ter presentes estas atitudes:

Acolher os irmãos e irmãs com alegria, como comunidade do Amor na alegre fraternidade e ternura.

Revigorar a Família diante dos incontáveis desafios (fragmentação, desestruturação, falta de diálogo…), para que ela seja sacrário vivo da vida, espaço primeiro e privilegiado da formação humana, espiritual, psicológica, assimilação dos valores que devem nortear a vida de toda pessoa e a pessoa toda para sempre…

Catequizar e Evangelizar – Não é suficiente a catequese, é preciso Evangelizar, permear a vida toda com o Evangelho, fazendo do mesmo um princípio ético de conduta e promoção do bem comum, construção de uma sociedade justa e fraterna. Alargar os horizontes da Pastoral Paroquial, numa necessária conversão e revitalização.

Converter-se à Boa-Nova de Jesus Cristo – conversão em todos os níveis e de todos os envolvidos na Evangelização: leigos (as), consagrados (as), ordenados. Conversão das estruturas para que se intensifique a comunhão e a participação, respondendo aos apelos da acolhida, realidade de pastoral urbana missionária e ecumênica.

Comunicar a Boa-Nova do Evangelho através dos Meios de Comunicação já existentes, e ampliar a necessária penetração nos novos areópagos da cidade: Internet, rádio, TV, jornais, escolas, universidades, hospitais, shoppings; dar passos para o fortalecimento da dimensão missionária da evangelização.

Defender a vida, desde a sua concepção até o seu declínio natural, respondendo aos clamores que emergem na defesa da mesma, ressaltando sua dignidade e sacralidade. Defender, também, a vida como meio ambiente, numa espiritualidade que repense uma ecologia integral.

Reavivar a evangélica opção preferencial pelos pobres no revigoramento e comprometimento sociopolítico, em busca de políticas públicas que assegurem vida, parcerias viáveis, fortalecimento dos diversos conselhos paritários; fóruns, etc.

Muitos são os desafios na atividade pastoral e na ação evangelizadora, e todos nós, ministros ordenados e leigos, precisamos encontrar corajosas respostas.

Contamos com o mesmo Espírito que pousou sobre Jesus, na Sinagoga de Nazaré, e que nos acompanha, dando-nos os sete dons: sabedoria e discernimento, conselho e fortaleza, ciência, temor e piedade (Is 11,1-3a).

Sendo a fé viva quando são as obras que falam, deixemos as obras falarem no cuidado do rebanho que o Senhor nos confiou (1Pd 5,1-4).

Esteja sempre Maria, a Estrela da Evangelização, conosco nesta missão, ela que é a Mãe da Igreja e sempre nos acompanha para maior fidelidade à Palavra e à missão, com a presença e ação do Espírito, que age e faz maravilhas.

Dom Otacilio F. Lacerda
Bispo auxiliar da Arquidiocese de Belo Horizonte