Você está em:

Presença de amor junto aos mais necessitados

A Paróquia Santo Antônio realiza intenso trabalho social que beneficia desde as crianças com idades de zero a 4 anos, acolhidas  em uma creche, até pessoas da terceira idade,  que integram o grupo Alegria de Viver.  Também funcionam nas dependências do Centro Social – localizado ao lado da igreja, na Avenida do Contorno, bairro Santo Antônio, os grupos Costura da Boa Vontade e de Artesanato.

  

  A missão de cuidar dos pequeninos

Isabel Viana de Andrade é coordenadora pedagógica e administrativa da creche que recebe crianças durante o horário de trabalho dos pais, que não têm rendimento para contratar os serviços de uma creche particular. Um projeto que não se limita ao aprendizado das crianças mas, também, visa à orientação e à formação continuada de funcionários e professores.
 

“Quando alguma família  precisa de atendimento psicológico, logo providenciamos. Isso contribui para que a criança conviva em ambiente saudável quando está em casa”

Além disso, segundo a coordenadora, as famílias dos alunos têm acompanhamento amplo e assistência individual. “Quando alguma família precisa de atendimento psicológico, por exemplo,  logo providenciamos. Entramos em contato com paróquias que oferecem esse serviço ou mesmo contamos com a boa vontade de algum psicólogo que queira ajudar. Isso contribui para que a criança conviva em ambiente saudável quando está em casa”, explica.
 

A obra é realizada em parceria com a prefeitura de Belo Horizonte que libera recursos para o projeto pedagógico.  A manutenção do prédio e a compra de equipamentos, segundo Isabela, são custeadas pela Paróquia que realiza eventos como almoços e bazares beneficentes, além de receber doações da comunidade.

Isabel Viana destaca ainda o empenho e atenção do pároco, padre Douglas Jorge Arão. “Ele está sempre presente nos eventos da creche dando apoio a cada iniciativa, o que faz com que familiares dos alunos e funcionários sintam-se valorizados”, observa.

 

Amparados pela Providência

Confraternização do Grupo de Costura Boa Vontade

O Grupo de Costura Boa Vontade, fundado há 43 anos pelos próprios paroquianos, é um dos colaboradores da creche. Maria Cecília  Moncorvo, que coordena os trabalhos junto com Antônia Souza Lima, conta que recentemente as costureiras voluntárias entregaram 30 travesseiros e fronhas para a creche da Paróquia. E novas unidades estão sendo feitas para a Creche Dora Ribeiro, no Bairro 1º de Maio.

A equipe é formada por 20 senhoras com idades entre 40 e 90 anos. Elas se dizem realizadas com a alegria que proporcionam às crianças e às suas famílias, como revela dona Maria Cecília. Ela conta com satisfação ter recebido da coordenadora da creche uma foto das meninas vestindo as roupas feitas pelo Grupo de Costura.

O encontro com as amigas nas tardes de quinta-feira é outra recompensa que as senhoras recebem.  A solidão e o ócio passam longe dessa turma animada, que tem na Providência Divina sua maior companheira de jornada. “Santo Antônio está sempre intercedendo. De uma hora para outra aparecem peças de flanela, cortes de tecidos e aviamentos. Bastou o padre Douglas fazer um pedido em nosso jornal que ganhamos quatro máquinas de costura”, comenta dona Maria Cecília.

As atividades do dia encerram-se sempre com a leitura de um trecho do Evangelho e orações, alimentos para o espírito, e um cafezinho, bem ao estilo mineiro.

Lugar de trabalho e convivência

O Grupo de Artesanato, que também colabora com o atendimento aos mais necessitados, reúne-se semanalmente na paróquia Santo Antônio há 29 anos.  As integrantes fazem panos de prato, bordam, tecem croché e tricô usando toda criatividade para produzir objetos que são vendidos no bazar de final de ano.  
 

Maria Lúcia, Regina, Dalva e Cidinha mostram sombrinha criada para decorar a festa de Santo Antônio

Maria Aparecida Dorneles  coordena a equipe junto com Maria Lúcia Brant. Ela conta que mesmo não sendo uma escola de artesanato – pois as pessoas que ingressam precisam saber fazer algum trabalho manual – as integrantes aprendem muito umas com as outras.

“Trocamos experiência de artesanato e de vida. É gratificante poder ajudar aos que mais precisam e sermos ajudadas, recebendo demonstrações de amizade. Algumas integrantes de nosso grupo gostam de fazer os trabalhos manuais em casa, mas eu sempre as incentivo a participar de nossos encontros. Conviver é muito importante e agradável”, afirma dona Cidinha, como é carinhosamente chamada pelas companheiras.

Alegria de Viver

Senhoras Angela, D Anita, Edy e Maria Lucia

Algumas dessas senhoras que frequentam as equipes de costura e artesanato não abrem mão de participar do Grupo da Terceira Idade Alegria de Viver, liderado pelas senhoras  Edy Garcia de Mello,   Angela Ferreira, Anita Amorim e Maria Lúcia Brant. 

São em torno de 40 integrantes que se encontram todas as segundas-feiras para atividades como aulas de dança, desfile de moda, ginástica e palestras com temas de interesse do grupo. Os temas são apresentados por geriatras, fisioterapeutas, psicólogos e nutricionistas.  Este mês de maio foi especial para elas que homenagearam Nossa Senhora com uma coroação.

Edy Garcia conta que o objetivo é fazer com que os idosos mantenham o convívio social.