Você está em:

Pos-morar: Casa nova com mais qualidade

Promover a adaptação das famílias beneficiadas por programas habitacionais do município à nova situação de moradia é a proposta do programa Pós-morar. Ele é desenvolvido pela Arquidiocese de Belo Horizonte, por meio do Vicariato para a Ação Social e Política, em parceria com a prefeitura de BH por meio da Companhia Urbanizadora e de Habitação de Belo Horizonte (Urbel ).

O Pós-morar segue as diretrizes da Política Municipal de Habitação no acompanhamento social pós-ocupação.  Atua visando à inclusão da população atendida ao novo contexto social da convivência urbana.

O programa atende às necessidades dos moradores, como a aprendizagem de mecanismos adequados para a solução de problemas que surgem na convivência condominial, após concretizarem o sonho da casa própria.  São questões relacionadas à organização financeira do condomínio, o respeito às regras de convivência que priorizem o interesse coletivo, a elevação da capacidade de autossustentação das famílias e a conservação do patrimônio conquistado.

O Pós-morar tua visando à inclusão da população atendida ao novo contexto social da convivência urbana.

O objetivo, por tanto, é desenvolver ações que contribuam para o fortalecimento do espírito comunitário.  E, também, atuar de modo que as famílias tenham acesso ao mercado de trabalho, a transporte, a equipamentos sociais e aos serviços públicos  como escolas e postos de saúde.

O trabalho do Pós-morar é norteado por três eixos de atuação:

1.    Mobilização Comunitária e Organização  Condominial, cuja finalidade é consolidar um sistema de gestão condominial atuante e participativo.
2.     Educação ambiental, sanitária e patrimonial, a partir de ações educativas e informativas que estimulem e sensibilizem a comunidade para questões socioambientais.
3.    Geração de emprego e renda/capacitação profissional, com a finalidade  de oferecer oportunidades de inserção no mercado do trabalho e de elevação da renda familiar. Um trabalho que contribui para a sustentabilidade dos beneficiários.

Segundo o supervisor da equipe da regional Venda Nova e Norte, Elerson da Silva, atualmente, são 24 conjuntos habitacionais com proposta de trabalho social pós-ocupação, localizados nas diversas regionais de Belo Horizonte, contemplando aproximadamente 3 mil famílias. Cada residencial é acompanhado por uma equipe técnica. Ao todo são 23 agentes distribuídos em seis  grupos capacitados para levantar as demandas das famílias e apoiá-las na busca de soluções.