Você está em:

Todos já ouvimos dizer que uma imagem fala, e por vez, diz mais do que as palavras!

E vamos meditar sobre uma que integra a nossa realidade e a nossa atmosfera de vida.

Certamente faz parte das nossas lembranças passadas e presentes, fará das futuras!

Sim, todos já pegamos ou entramos numa ESTRADA!

Estrada para uma viagem, um passeio, uma caminhada, uma simples volta, uma saída!

Conheço pessoas que fazem do sair dirigindo pela estrada um momento de lazer, de distração, de serenar um cansaço, de renovar as forças, de retomar planos, refazer sonhos!

 A estrada é tão comum aos nossos olhos que esquecemos de sua importância, de sua necessidade, dos seus encantos, dos sues mistérios, da sua força, dos seus riscos.

Ela é silenciosa, quase infinita! Ignora distância, tempo, lugar, altura, espaço!

Uma estrada é estrada em qualquer continente, país, região, cidade, vila ou lugarejo!

Deixa-se encontrar a qualquer hora nas quatro estações!Ela é quase invencível!

Promove encontro, desencontro, separação, nova união. Há pessoas que desapareceram numa estrada e nunca mais voltaram. Perderam-se ou se acharam nas estradas da vida!

Uma estrada também ajuda a conquistar sonhos, vislumbrar novas paisagens, novos horizontes, novas perspectivas, um novo começo, o fim de um projeto, o início de outros.

Algumas estradas imitam a vida. São tão belas, quanto perigosas, sinuosas, desafiantes, exigentes, rotineiras, comportando momentos de alegrias e de inquietações!

Creio que se dependesse dela certamente evitaria tantos acidentes e mortes.

Intuo que nesses momentos, solitária e sensível, silenciosa e orante – não importando se de dia ou de noite – ela deve chorar e quase num lapso de contemplação elevar suas mãos aos céus e entregar ao Senhor as almas dos que morrem em suas curvas!
Sim, numa estrada há e acontece de tudo: vida, morte, encontro, desencontro, progresso, miséria, segurança, perigo, esperança, frustração, silêncio, barulho, horizonte, cansaço, luz, sombra, dia, noite, trabalho, descanso, convívio, solidão, distância, proximidade, organização, desorganização…

Ela, a estrada, encerra em si um pouco do mistério do Criador: pois, quase infinita, majestosa, imensa, onipresente, onipotente, onisciente – autônoma, absoluta, livre!

Ela tem ainda uma comunicação para a nossa vida interior e espiritual. Jesus no evangelho de São João é apresentado como o CAMINHO (Jo 14,6).

O livro da Imitação de Cristo diz que sem caminho não se anda, e um bom caminho é sempre para onde Jesus quer nos levar e nos conduzir pelas estradas da vida.

 A partir de hoje, quando você entrar numa estrada, convide Jesus, o Caminho, para acompanhar sua ida, sua permanência e seu retorno. Ele, sim, o Caminho seguro, é capaz de fazer do seu ir e vir ocasião de encontro, progresso, segurança, esperança, silêncio, horizonte, luz, dia, trabalho, convívio, proximidade, sonho, organização, vida nova…

Saiba também que você nunca estará sozinho (a) nas estradas de cada dia.

Além de Jesus, o Caminho e o melhor Companheiro de cada viagem, temos Maria.

Ela, como mãe zelosa, sabe nos acompanhar no caminhar das estradas da vida!

A estrada permanecerá determinada e comunicativa, livre e quase infinita, cumprindo pacientemente seu papel e sua missão. Saibamos imitá-la, guiados pelo Caminho (Jesus) e a Estrela (Maria).

E não se esqueça de ficar sempre cantando, contemplando ou rezando baixinho no íntimo do seu coração:

Pelas estradas da vida, nunca sozinho estás.
Contigo pelo caminho, Santa Maria vai.
Ó vem conosco, vem caminhar, Santa Maria vem.
Ó vem conosco, vem caminhar, Santa Maria vem.

Se parecer tua vida, inútil caminhar,

lembra que abres caminho, outros te seguirão…

Ó vem conosco, vem caminhar, Santa Maria vem.

 

Dom Abade Filipe da Silva
Mosteiro de São Bento (RJ)