Você está em:

Pastoral capacita voluntários para atuar junto aos presos

 

A Pastoral Carcerária da Arquidiocese de BH tem realizado importantes ações de  capacitação de agentes para o serviço de apoio aos presos. A mais recente iniciativa é o curso destinado à formação de líderes de pastoral, no período de 13 a 17 de setembro, no Vicariato para a Ação Social e Política.  A expectativa é de que 25 novos agentes se juntem aos 200 líderes da Pastoral Carcerária que já atuam  em 22 unidades do sistema  prisional da região Metropolitana.

Os voluntários se organizam em equipes que realizam trabalhos distintos, mas articulados entre si, nas áreas jurídica, de informação, social e de visitação aos presos nas penitenciárias,  nos  Centros de Remanejamento do Sistema Prisional (Ceresp) e na Casa do Albergado, destinada aos presos em regime semi-aberto.

As visitas aos presos, segundo Luciana Ferreira, que  atua na Pastoral, são realizadas conforme o perfil de cada unidade e as necessidades dos recuperandos. Contudo, elas têm em comum a preocupação com a evangelização e a promoção humana, fatores que irão ajudar o preso em sua reintegração na sociedade. “É fundamental para essas pessoas ouvirem uma palavra de esperança e terem alguém para escutá-las. Muitos não recebem visitas, porque a família mora longe ou por outros vários problemas, o que é muito difícil para eles. E é nessas situações que procuramos atuar”.

Os voluntários que cuidam do social respondem às cartas dos presos que chegam com pedidos de oração e de contato com os familiares. Eles também encaminham as solicitações aos setores competentes, como por exemplo, à equipe jurídica, quando os pedidos dizem respeito a transferências, levantamentos sobre o cumprimento das penas, encaminharmentos para defensoria pública e juízes, e andamento processual.

SERVIÇO
Curso de capacitação para agentes da Pastoral Carcerária
Data: de 13 a 17 de setembro
Horário : das 8 às 17 horas
Local: Vicariato para ação social Além Paraíba, 208 – bairro Lagoinha

Justiça Restaurativa

 

Além da capacitação de lideranças, a Pastoral Carcerária realiza também outros cursos. Entre eles,  sobre Justiça Restaurativa,  um novo modelo de justiça voltado para as relações prejudicadas por situações de violências.  A ideia é valorizar a autonomia e o diálogo, criando oportunidade para que as pessoas envolvidas nos conflitos possam conversar e entender a causa real do problema que as envolve, a fim de restaurar a harmonia e o equilíbrio entre todos. A ética restaurativa é de inclusão e de responsabilidade social e promove o conceito de responsabilidade ativa.

 

O processo restaurativo acontece quando um facilitador auxilia os envolvidos nos conflitos a iniciarem um diálogo capaz de transformar uma relação marcada pela violência, em relação cooperativa, visando à responsabilização, à reparação de danos, ao fortalecimento de laços comunitários e à prevenção de violências futuras.