Você está em:

Paróquias se unem em trabalho social e evangelizador no Aglomerado da Serra

Solidariedade e comunhão eclesial marcam o bonito trabalho social realizado em parceria pela Paróquia Nossa Senhora de Lourdes, no bairro Lourdes, em Belo Horizonte, e Paróquia Bem-Aventurada Dulce dos Pobres, situada no Aglomerado da Serra. Mais de 300 moradores da região são beneficiados com oficinas de geração de trabalho e renda que oferecem cursos de culinária, corte e costura, bordado, crochê, teclado, violão, canto coral, e curso de formação em elétrica para mulheres aprenderem a trabalhar como eletricistas. A população da região do Aglomerado conta ainda com atendimento psicológico.

Otimista com os resultados obtidos com a inciativa, todas as oficinas estão cheias de alunos, pároco da Paróquia Nossa Senhora de Lourdes, padre Welington Cardoso Brandão, anuncia para um futuro a inauguração de uma farmácia comunitária e atendimento médico. Além disso, segundo o sacerdote, o Grupo Tambores da Serra irá enriquecer as atividades culturais e artísticas. “Nosso objetivo é proporcionar formação humana, tendo em vista a geração de renda para as famílias, independentemente da idade, contemplando os jovens com atividades que os ajudem em seu desenvolvimento e os mantenham longe das ruas” – explica padre Wellington.

O padre João Batista da Silva, pároco da Paróquia Dulce dos Pobres, celebra, com as nove comunidades de fé existentes no Aglomerado – região que reúne 50 mil moradores de vilas e favelas – o êxito da parceria idealizada pelo Núcleo de Acolhida e Articulação da Solidariedade Paroquial (NAASP) e articulada pelo Vicariato para a Ação Social da Arquidiocese de Belo Horizonte. O sacerdote recorda que, ao assumir a paróquia no início deste ano de 2018, havia sugerido aos integrantes do Naasp a buscarem uma forma de atuação social que contribuísse para promoção humana das pessoas. Ao mesmo tempo, o padre Wellington buscava um local apropriado para direcionar o trabalho social da Igreja de Lourdes. O encontro dessas propostas foi então promovida pelo Vicariato.

Satisfeito com a experiência vivenciada pelas paróquias irmãs, padre João Batista torce para o surgimento de outras parcerias entre igrejas situadas em regiões mais abastadas e aquelas que necessitam de poio para desenvolver seus trabalhos sociais. Embora as atividades sejam abertas a pessoas todas as denominações religiosas, essa também é uma forma de anunciar o evangelho por meio do testemunho cristão. Quem frequenta as oficinas, tem também a oportunidade de entrar em contato com livros que promovem a evangelização. “É uma forma de levar Jesus às pessoas que ainda não o conhecem e desejam conhece-lo”, afirma o sacerdote.