Você está em:

Paróquia Santa Margarida Maria Alacoque: presente nos momentos mais desafiadores da comunidade

Os moradores do bairro Jardim Montanhês sabem com quem podem contar nos momentos de crise e dificuldades. A Paróquia Santa Margarida Maria Alacoque presta diversos serviços à comunidade por meio  da Pastoral da Saúde, Conferência Santa Maria Salomé – SSVP, do Grupo Amar é Reviver, para a terceira idade, e do Mutirão Contra a Miséria e a Fome .

 

Os voluntários da Pastoral da Saúde  realizam importante trabalho com os doentes, especialmente com os idosos. Acompanhados dos ministros da Comunhão  Eucarística, os agentes da Pastoral visitam os doentes, procurando  saber  qual  o  tipo de ajuda precisam .  Quando a carência é espiritual, e as pessoas atendidas solicitam a presença de um padre, os agentes entram em contato com a paróquia para agendar a visita do sacerdote.  E todo mês de maio a pastoral organiza a Missa dos Enfermos, reunindo na igreja os doentes da comunidade.

Se o problema é de ordem material como, por exemplo, assistência médica, é feito o encaminhamento ao posto de saúde local.  Uma vez por mês um representante da Paróquia reúne-se no Posto de Saúde com líderes da comunidade, quando são discutidas  questões relacionadas ao desempenho  das duas partes: as  dificuldades enfrentadas pelo posto,  e as reivindicações de assistência médica para os doentes, especialmente a presença no domicílio daqueles  impossibilitados de se locomover.

A Pastoral da Saúde também mantém um sistema de empréstimo de cadeiras de rodas, muletas e andadores a pessoas que precisam de ajuda para caminhar. Os equipamentos são adquiridos por meio de doação e compras, realizadas com os recursos de eventos, como por exemplo, um chá anual que reúne toda a comunidade, em momento especial de doação e confraternização.

 


Rodrigo Araújo/Divulgação PBH

Um projeto especial é dedicado à  terceira idade.  Fruto de parceria da Paróquia com o Posto de Saúde do bairro,  o Projeto Amar é Reviver incentiva a atividade física, orientada por um educador  com formação acadêmica e oferece os conhecimentos necessários  para um envelhecimento saudável. As atividades incluem o lazer e momentos culturais.  Mas sensação entre os frequentadores têm sido as aulas de dança cigana, que até deram origem a um grupo de dançarinas. Hoje, elas se apresentam em eventos da comunidade e fora dela. 

O Projeto  reúne  30 pessoas com idades entre 60 e 92 anos  que, além dos benefícios físicos,por meio da socialização, têm apresentado melhoras na autoestima e no humor,  muitas vezes superando também a depressão.
 

Os vicentinos da Conferência Santa Maria Salomé ajudam  famílias  com dificuldades para sobreviver ou que enfrentam vários outros problemas, a exemplo das pessoas que saem do interior para  tratamento de saúde na capital, mães de família com filhos muito pequenos que não podem sair para trabalhar ou aqueles que precisam de uma ajuda espiritual. Para essas e outras dezenas de situações os vicentinos buscam ajuda na comunidade.

 

A Conferência Santa Maria Salomé atua no bairro Jarim Montanhes há mais de 50 anos. Atualmente cuida de oito famílias, frequetemente visitadaspelos vicentinos. Eles orientam e acompanham a evolução de todas essas pessoas, com o objetivo de ajudá-las a superar essa etapa de assistência emergencial e a recuperar  a autonomia.

Há mais de dez anos o mutirão da fome funciona dentro da Ação Social Santa Margarida Maria Alacoque (Assomar). Oito pessoas se organizam em três equipes para  atender 30 famílias com a distribuição de cestas básicas.  AS pessoas que solicitam atendimento fazem um cadastro que é analisado por todo o grupo. Com a inclusão no  programa, a família passa a ser acompanhada.

 

O pressuposto é de que a dificuldade financeira para comprar alimentos resulta de muitos outros problemas. A partir de um diagnóstico, os voluntários se mobilizam para ajudar. Se a questão é doença, acionam o Posto de Saúde; se é desemprego, procuram ajudar na recolocação no mercado de trabalho; se é alcoolismo, encaminham para o Grupo dos Alcóolicos Anônimos que também funciona na Paróquia. O importante, é que ninguém se sente desamparado.