Você está em:

Paróquia ajuda famílias a fortalecerem laços afetivos e comunitários

 

Paróquia Santíssima Trindade  atua em Santa Luzia, Município  que integra a Arquidiocese de Belo Horizonte, com um importante seviço social que abrange oito comunidades.  

A Creche Comunitária Senhora da Paz,  criada pelas religosas  da Congregação Irmãs Filhas de Jesus, hoje é conduzida por leigos da Paróquia que acompanham e promovem o desenvolvimento de 170 crianças e pré-adolescentes de zero a 12 anos de idade. São meninos e meninas de  comunidades pobres dos bairros Maria Antonieta – antigo Palmital-, Nova Conquista, São Benedito, Conjunto Crtistina, São Cosme e Castanheira que recebem toda atenção  necessária de um  serviço que proporciona aos pais a tranquilidade de irem para o trabalho sabendo que os filhos estão sendo bem cuidados.  

A educação infantil é elaborada com orientação pedagógica. E no contra turno escolar, as crianças  com idades de seis a 12 anos, que integram o Projeto Paz, participam de atividades pedagógicas preparadas por especialistas.

Enquanto os filhos estudam, as mães que não trabalham fora têm a  oportunidade de aprender algo novo nas oficinas do Clube de Mães, criado nos moldes dos projetos de geração de renda que envolve, também,  alunos da creche nas aulas e de artesanato.  Em um bazar, toda a produção é comercializada e a renda revertida para a instituição e para  cobrir as despesas do Clube de Mães  com material e contratação de oficineiros.

Mesmo com o esforço próprio e recursos de  alguns convênios, a creche  depende da comunidade para manter este bonito trabalho. Todo tipo de doação é destinado às crianças e suas famílias, seja no dia a dia  da escola, ou do lar.

A inclusão digital é outro importante serviço prestado à comunidade. Três telecentros permitem acesso gratuito à internet  nas comunidades São José,  Nossa Senhora da Paz e Santo Inácio de Loyola.

Na Comunidade São José,  bairro Nova Esperança, o telecentro é um dos projetos coordenados por religiosas da Congregação Irmãs Filhas de Jesus. Nessa unidade, o diferencial é o curso de informática para 50 alunos, em cinco turmas, de  segunda a quinta-feira. Também são oferecidas aulas de música – teclado e violão – às segundas e terças-feiras, para  quatro turmas de cinco alunos cada. Às terças e quintas-feiras à noite, tem aula de capoeira para crianças a partir dos 8 anos de idade, adolescentes, jovens e também para os pais das crianças.

O reforço escolar faz parte das ações sociais na Comunidade São José, e é aberto a todas as crianças que sentem dificuldades em alguma matéria. Aos sábados, um estudante jesuíta, voluntário, dá aulas  de inglês  para turmas de adultos e estudantes que desejam melhorar o inglês que aprendem nas escolas.

Geração de renda

As aulas de culinárias reúnem os moradores que têm talento e gostam de cozinhar. Segundo a coordenadora dos projetos, irmã Edna Zangali de Azevedo,  alguns alunos já estão complementando o orçamento doméstico com a venda e salgadinhos e doces, mas ela explica que a meta é criar uma pequena cooperativa. A turma atual tem dez alunos que frequentam as aulas duas vezes por semana.

O objetivo de todo o trabalho, segundo irmã Edna, é incentivar o fortalecimento dos laços das crianças com seus familiares e  a comunidade,  que tem aproximadamente 3.500 famílias. “Já conseguimos algum progresso ”, afirma a religiosa. “Sentimos que  crianças e adultos estão mais confiantes e  que o trabalho desenvolvido na Paróquia apresenta resultados positivos”.

Na Comunidade Nossa Senhora da Penha, que também integra a Paróquia Santíssima Trindade, o Grupo Mulheres Criativas, idealizado para acolher famílias que passam por momentos difíceis, oferece oficinas artesanato e pintura. Nessa, assim, como nas outras ações sociais, o objetivo maior é evangelizar, tomando como exemplo a solidariedade.

Além da atuação no interior das comunidades, a Paróquia Santíssima Trindade organiza ações em rede, articulando  os  grupos que atuam  na Paróquia  com  as instâncias do poder público como o Programa Fica Vivo  e os Conselhos Municipais. Todos os meses, os fiéis  que participam dessas entidades  reúnem-se para eleger as prioridades  que deverão ser transformadas em políticas públicas.