Você está em:

Os passos para a realização de uma Leitura Bíblica

Vimos o primeiro passo para ler e entender a própria Bíblia. Uma leitura criteriosa, com os olhos bem abertos à nossa realidade, um meditar a palavra que está sendo lido.  Hoje, a reflexão vai nos ajudar a perceber no texto sobre o que ele está falando, com quem e para quem. Quem são os personagens do texto; Ou seja: Precisamos estar atentos para descobrir:

Autor: Quem elaborou o texto?

Destinatário Original: A quem foi, primeiramente, destinado o texto?

Escopo do autor: Com qual intenção escreveu?  Qual objetivo?  Que efeito queria produzir?

Tema: Qual o conteúdo?

Tempo: Quando foi escrito?

Lugar: Onde?

Destinatário atual: quem é o atual leitor?

Escopo do leitor: Com qual intenção o leitor está lendo a Bíblia: Orar? Ensinar?  Anunciar?

É claro que não teremos todas essas informações. Mas, quando estamos estudando a Bíblia estas informações são importantes para ajudar a compreender o texto, pois ele foi escrito há muitos séculos atrás, numa cultura diferente da nossa.

Todas são importantes, mas o tópico “escopo do leitor” que quer dizer: qual é a nossa intenção ao ler a Bíblia merece uma atenção especial porque vai nos ajudar na mensagem da Palavra.

A interpretação que fazemos do texto bíblico depende da intenção com que vamos abordá-lo. Diz os rabinos judeus que a Escritura tem “setenta faces”, isto é há sempre uma nova maneira de interpretá-la.

Refletindo sobre as várias maneiras de ler a Bíblia, podemos estabelecer alguns níveis de leitura: Oração, Liturgia, Catequese, Teologia, Exegese.

Vamos conversar sobre a Oração.

Quando estamos em oração, a intenção da leitura bíblica é buscar respostas para os nossos anseios e luz para as nossas decisões. Existem várias maneiras de rezar. Mas aqui vamos falar de uma leitura bíblica que se faz de forma esquematizada nos passos da “Lectio Divina” = Leitura Orante. Esta oração apresenta, de forma ordenada, os seguintes passos: O texto sagrado, a leitura, a meditação, a partilha, a oração, a contemplação, a ação.

Nesse nível, vamos desenvolvendo a nossa compreensão da palavra, passo a passo. O que o texto diz? Exige uma leitura atenta até que eu possa compreender o que o texto está querendo dizer.  Nesse momento vêm aquelas perguntas: Quem? O que? Onde? Por quê? Quando? Como? Com que meios? Como o texto se situa dentro do contexto literário, de que livro faz parte?

Se é Histórico: dimensão econômica, social, política, ideológica, afetiva, antropológica e outras que se refletem no texto ou são obtidas por leituras e informações ideológica, paralelas.

Se é Teológico: perceber por meio do texto, o que Deus tinha a dizer para aquele povo e para nós hoje. Como o povo assumia e celebrava a fé no seu Deus? Este procedimento, nós podemos ter no estudo e na oração individual.

O segundo passo – a meditação: O que o texto diz para mim? A meditação responde à pergunta: o que o texto diz para mim, para nós, para a nossa realidade/comunidade? Ela nos mostra a verdade oculta, isto é, a mensagem que traz para nós hoje e que precisamos atualizá-la.

O terceiro passo – a contemplação: O que a Palavra me leva a experimentar? É o reviver, com os personagens que aparecem no texto, a experiência que eles viveram.

O quarto passo – a Oração – O que a Palavra me leva a falar com Deus? Este é o momento de falar com Deus. É um diálogo pessoal: eu e Ele. Dirigimos-nos dirigindo-nos a Ele sempre na primeira pessoa. A oração é como uma resposta ao chamado. É o reconhecimento de nossa pequenez, de nossa fragilidade.

O quinto passo – a ação – O que a Palavra me leva a viver? A ação é como o fruto de uma árvore, que cresce e amadurece lentamente. Ele já está dentro da semente, mas só aparece no momento oportuno. Ela nos proporciona um novo olhar diante da realidade.

A Leitura Orante, feita com frequência, modifica para o melhor as nossas relações conosco mesmos, com os outros, com o universo e com Deus. Trata-se de abrir-nos para a ação do Deus Vivo que vem ao nosso encontro para dialogar conosco, para escutar-nos. É o encontro entre dois corações, entre dois desejos; é doação recíproca.
 

Em resposta a esse chamado, nós vamos ao seu encontro com o desejo ardente de encontrar-nos com Deus, aquele que o nosso coração ama, e de realizarmos a sua vontade com a comunidade que nele acredita. A Leitura Orante é importante para o cultivo da espiritualidade bíblica.

SILVA: Cássio Murilo Dias. Metodologia de Exegese Bíblica. São Paulo: Paulinas, 2000.

Neuza Silveira de Souza

Coordenadora da Comissão Arquidiocesana Bíblico-Catequética de BH