Você está em:

Obras Sociais São Judas Tadeu

O Santuário São Judas Tadeu, tradicional centro de peregrinações da Arquidiocese de Belo Horizonte, é também referência de acolhimento e apoio aos mais necessitados. Com uma incansável equipe de voluntários, oferece ajuda em situações de urgência e formação profissional para quem busca ingressar no mercado de trabalho.

 

A sede das Obras Sociais São Judas Tadeu recebe, diariamente, mais de 200 alunos dos cursos para cuidadores de idosos, cuidadores de crianças e informática, numa parceria da Paróquia com o Colégio Técnico da Universidade Federal de Minas Gerais (Coltec), no âmbito do Programa Nacional de Acesso ao Ensino Técnico e Emprego (Pronatec). As aulas são ministradas por professores do Coltec, como a enfermeira Márcia Regina Alves Andrade. Além de voluntária e uma das diretoras das Obras Sociais, ela foi capacitada e contratada para trabalhar no programa. Crianças e adultos também têm a oportunidade de aprender música e capoeira no Santuário São Judas Tadeu.

 

Embora sejam abertos ao público em geral, os cursos de formação profissional são frequentados, em sua maioria, por pessoas carentes. O lanche dos alunos é fruto do trabalho dos voluntários. Diariamente, eles fazem uma sopa nutritiva com ingredientes doados por um proprietário de sacolão, devoto de São Judas, e dos paroquianos que atendem aos pedidos dos padres durante as missas. “Graças à generosidade das pessoas, chegam muitos donativos como óleo, macarrão e outros gêneros alimentícios para completar a sopa”, revela Márcia Regina.

 

A distribuição de cestas básicas para comunidades do bairro Ribeiro de Abreu, dos municípios de Sabará e Vespasiano e no entorno do Santuário, no bairro da Graça, em Belo Horizonte, é uma entre tantas ações de amor ao próximo empreendidas pelas Obras Sociais São Judas Tadeu. Os mantimentos são enviados para as paróquias que têm famílias cadastradas e que são acompanhadas por voluntários da Igreja. Em torno de 200 cestas são distribuídas todos os meses.

 

O apoio a famílias com problemas de moradia é outra forma de os voluntários testemunharem o compromisso cristão com o próximo. Várias casas foram construídas com o apoio da comunidade. Recentemente uma família com 12 filhos pequenos, que morava em um único cômodo, recebeu uma casa construída pela comunidade. Mas para receber a ajuda, é feita uma triagem. O reitor do Santuário, padre Joacyr Antunes e alguns voluntários vão ao local onde as pessoas vivem para constatar a necessidade do atendimento.

 

Além das doações espontâneas, para angariar recursos, todo dia 28, data dedicada a São Judas, é realizado um bazar de roupas vendidas a preços simbólicos. “As pessoas de maior poder aquisitivo doam aquilo que não usam mais e que está em bom estado. Após uma triagem criteriosa, colocamos os objetos à venda”, explica a voluntária.

 

“Todo este trabalho é muito gratificante. Exige muito da gente, mas quando se faz o que se gosta, nada é pesado demais, as coisas acontecem com certa facilidade. Eu ainda trabalho como enfermeira para um plano de saúde, mas não abro mão do voluntariado. O crescimento pessoal que se adquire não tem preço. A gente aprende a valorizar pequenas coisas, pequenos gestos e a ver o mundo de modo muito diferente. É uma forma de evangelizar com o exemplo. As pessoas que estão em volta de nós crescem junto vendo nossas atitudes. Este é um dom que Deus me deu e procuro fazer bom uso dele”, diz a enfermeira.