Você está em:

 

Uma Igreja que não anuncia Jesus é uma Igreja morta. Uma expressão forte que o Papa Francisco usou na manhã de quarta-feira, 23 de Outubro, durante a audiência geral, para afirmar um conceito que lhe está particularmente a peito: «A Igreja não é uma loja» nem «uma agência humanitária», nem «uma Ong». Ela,  simplesmente, «tem a tarefa de anunciar Cristo e o seu Evangelho a todos».

É esta  a Igreja, repetiu, e «não se anuncia a si mesma – se é pequena, grande, forte ou débil» mas «anuncia Jesus». E tem um modelo a seguir: Maria, a «jovem judia que esperava com todo o coração a redenção do seu povo». Maria levou consigo Jesus, quando ainda estava no seu ventre, «a visita que fez a Isabel». Não lhe  levou só uma ajuda material, levou-lhe muito mais: «a caridade de Jesus, o amor de Jesus».

«E qual é o amor – o Papa interrogou os fiéis – que levamos aos outros?». É «o amor de Jesus, que reparte, perdoa e acompanha» ou é um amor «baptizado», come fazemos com o vinho «que parece água»?

E prosseguindo  de modo improvisado entrelaçou um diálogo com os fiéis: «Como são – perguntou – as relações nas nossas paróquias, nas nossas comunidades? Tratamo-nos como irmãos e irmãs? Ou julgamo-nos, falamos mal uns dos outros, cuidamos cada um dos próprios “interesses”, ou cuidamos uns dos outros?». Estas «são perguntas de caridade», concluiu.

Antes de chegar à praça o Pontífice encontrou-se, na Sala Paulo VI,  com um grupo de capelães das prisões italianas, reunidos nestes dias  para um congresso em Sacrofano, nos arredores de Roma. Na circunstância o Papa Francisco pediu para  garantir aos presos que ele reza diariamente por todos eles. Depois recomendou aos capelães que levassem o seu encorajamento a cada preso juntamente com a certeza de que Jesus está na prisão juntamente com eles, prisioneiro também ele «dos nossos egoísmos, dos nossos sistemas, de tantas injustiças, porque é fácil punir os mais débeis, mas os peixes grandes nadam livremente nas águas».

O Pontífice confidenciou  também que se continua a manter   em contacto  telefónico com os presos que habitualmente visitava em Buenos Aires e  que haure benefícios espirituais desta experiência, que – acrescentou – me faz «rezar e aproximar dos presos».

 

L’Osservatore Romano
23-10-2013

 

Você também pode acompanhar, aqui, o resumo das reflexões do Papa Francisco nas homilias das Missas celebradas na Casa Santa Marta, situada nas dependências do Estado do Vaticano.

 

25 de Outubro de 2013
MISSA DO PAPA EM SANTA MARTA – A LÓGICA DO ANTES E DO DEPOIS

 

24 de Outubro de 2013
NÃO PODEMOS SER CRISTÃOS DE MEIO CAMINHO – O PAPA NA MISSA DESTA QUINTA-FEIRA APELOU AOS CRISTÃOS PARA TOMAREM A SÉRIO A SUA FÉ

 

24 de Outubro de 2013
PAPA NA MISSA EM SANTA MARTA: “FOMOS RE-CRIADOS EM CRISTO”

 

22 de Outubro de 2013

DEUS NÃO SALVA POR DECRETO. SALVA-NOS COM TERNURA E COM A SUA VIDA

 

21 de Outubro de 2013
A COBIÇA DESTRÓI AS PESSOAS E AS FAMÍLIAS. USEMOS OS BENS DE DEUS PARA AJUDAR OS OUTROS 

 

20 de Outubro de 2013
MENSAGEM DO PAPA FRANCISCO PARA O DIA MUNDIAL DAS MISSÕES 2013 (20 DE OUTUBRO) 

 

19 de Outubro de 2013
MISSA DO PAPA EM SANTA MARTA – O OCASO DO APÓSTOLO