Você está em:

O Natal com as pessoas em situação de rua

Pastoral de Rua da Arquidiocese de Belo Horizonte começa a preparar o Natal das pessoas em situação de rua, durante a Semana dos Direitos Humanos, de 9 a 15 de dezembro.  As várias atividades previstas contam com a participação articulada DA Pastoral Nacional do Povo da Rua,  do Movimento dos Catadores de Material reciclável, Movimento Nacional da População de Rua, Asmare, Instituto Nenuca de Desenvolvimento Sustentável e do Centro Nacional de Defesa dos Direitos Humanos da População de Rua e Catadores de Material Reciclável.

Nesse período que antecede o Natal, a ideia é discutir a relação dessas pessoas com a cidade e o acesso delas aos serviços públicos e aos meios de sobrevivência. De acordo com Claudenice Rodrigues Lopes, membro da coordenação colegiada da Pastoral de Rua, as questões centrais dizem respeito a ações contra a incineração de resíduos, “o que prejudica a reciclagem e agride o meio ambiente”, e à superação do preconceito, “no sentido de acabar com a discriminação e garantir a cidadania”.

 

No dia 10, será apresentada, ao público em geral, campanha  realizada pelo Centro Nacional de Defesa dos Direitos Humanos da População de Rua e Catadores de Material Reciclável e Ministério Público estadual. Serão divulgados cartazes com mensagens que têm como finalidade reafirmar os direitos humanos desse segmento da população urbana e contribuir para a construção de uma imagem positiva dessas pessoas que também são vítimas do preconceito.

 

“É importante construir relações de humanização, pois a
rua é lugar
de muito sofrimento”

A programação da Semana dos Direitos Humanos incluirá, ainda, a realização de uma reunião, dia 14, com autoridades e ex-moradores das Torres Gêmeas, como ficaram conhecidos os edifícios do residencial San Martin, ocupados por sem-teto, no bairro Santa Tereza.  A proposta, segundo Claudenice Lopes, é que sejam apresentados projetos de assentamento das famílias que ocupavam aqueles imóveis.

 

Também estão previstas atividades na Praça Floriano Peixoto, no bairro Santa Efigênia. No próximo dia 15, haverá no local grande encontro da população de rua, articulando as pessoas em diversas manifestações culturais. O ponto alto das atividades será a apresentação musical no encerramento da oficina de fabricação de instrumentos. Todos poderão, também, participar de momentos de espiritualidade. Uma iniciativa nos moldes dos momentos de reflexão da Palavra realizados sempre aos domingos, quando as pessoas em situação de rua são convidadas a se reunir para rezar e participarem de reflexões.

A celebração do Natal com o Povo da Rua será dia 25, na Comunidade Amigos da Rua, no salão do Vicariato para a Ação Social e Política.  O espaço será ornamentado por pessoas que participam de oficinas de artesanato promovidas pela Pastoral. “Por meio das oficinas a gente busca promover a organização e a vivência em comunidade. São encontros de partilha da vida e da fé que resultam na criação de vínculos. É importante construir relações de humanização, pois a rua é lugar de muito sofrimento. A partir dessa vivência vem o respeito, a solidariedade e o cuidado com o outro”, afirma a coordenadora da Pastoral.