Você está em:
Ah! Essa liberdade de escolher o SIM.
Essa liberdade de ultrapassar nossos limites e tendências ao fechamento
e ao egoísmo
Essa liberdade de filhos de Deus é perfeita, é real, é redentora e libertadora

“O máximo da liberdade é o “sim”, a conformidade com a vontade de Deus. Só no “sim” o homem se torna realmente ele mesmo; só na grande abertura do “sim”, na unificação da sua vontade com a vontade divina, o homem se torna imensamente aberto, “divino”. O desejo de Adão era ser como Deus, isto é, ser completamente livre. Mas não é divino, não é inteiramente livre o homem que se fecha em si mesmo; é-o quando sai de si próprio, é no “sim” que ele se torna livre; e este é o drama do Getsêmani: não a minha vontade, mas a tua. Transferindo a vontade humana para a vontade divina, nasce o verdadeiro homem, é assim que somos redimidos.” (Papa Bento XVI, Audiência Geral em 25 de Junho de 2008)

 

Vivemos em um mundo que nos empurra com muita força para o individualismo. Somos diariamente impulsionados a pensarmos mais em nós mesmos e menos nos outros. Pouco nos importam os problemas de nossos vizinhos, as dificuldades pessoais de nossos funcionários não nos pertecem, não nos ocupamos com os mais pobres e se alguém pede alguma ajuda tememos por nossa segurança, afinal, pode ser um assalto. Fechamos os vidros do carro, ligamos o ar condicionado, moramos em condomínios, andares privativos, casas com muros altos, temos identificadores de chamadas para atender as pessoas que nos convêm. Comunicamos, por computador, com um grupo seleto de pessoas, evitamos situações que nos exigem generosidade e dessa forma tendemos a nos afastar cada dia mais das dores da família humana.

Somos todos filhos de Deus, somos filhos do mesmo Pai. Pai das misericórdias, Pai generoso que não faz acepção de pessoas. Precisamos acordar! Despertar desse adormecimento que o mundo nos proporciona. Precisamos pensar além das nossas férias pessoais, além de nossos desejos de consumo, devemos nos comprometer com as crianças que não são nossos filhos, nos unir às dores das pessoas que nada podem nos retribuir. Ah! Essa liberdade de escolher o SIM. Essa liberdade de ultrapassar nossos limites e tendências ao fechamento e ao egoísmo. Essa liberdade de filhos de Deus é perfeita, é real, é redentora e libertadora. Gera vida, é fonte de paz e alegria para quem a vive e escolhe e para os outros.

Vamos, irmãos! Lutemos por essa liberdade máxima! Lutemos como filhos de Deus, com os olhos fixos Naquele que em tudo se abriu e assim foi capaz de acolher a humanidade inteira em seu coração. Jesus nos acompanhará e nos fortalecerá a cada escolha de amor. Comece hoje. Você pode dar início em sua casa: abra-se ao seu ou esposa, aos seus filhos, aos seus parentes… Se abra ao perdão. Seja o menor, seja o que serve, sirva com largueza de alma. Saia de si mesmo, logo seu íntimo se dilatará e você se abrirá para realidades mais sofridas, para almas mais sedentas e, assim, seu coração irá se alargando à semelhança do sagrado Coração do Nosso Senhor Jesus, Mestre da liberdade.
 

Anajúlia Gabino
Consagrada da Comunidade Católica Árvore da Vida