O mês de agosto, mês dedicados às vocações, é uma grande oportunidade para refletirmos sobre este precioso dom vindo de Deus, que é amor e nos chama ao amor.

A vocação à vida Religiosa Consagrada é um chamado e resposta. Hoje, depois de anos de caminhada eu acrescento: descoberta.  

A maioria dos fundadores das ordens religiosas foi interpelada por Deus, por meio dos clamores dos pobres que sempre foram maioria na sociedade independente de cultura, raça, realidade social. Incomodados com o sofrimento dos irmãos, e com a experiência de um Pai rico em misericórdia, colocaram-se a caminho, identificando nos irmãos abatidos pelo sofrimento o rosto do Filho, a máxima expressão da misericórdia do Pai.

Quem chama e quem responde se tornam um só diante das interpelações e necessidades mais diversas do ser humano no contexto histórico do momento. Olhando para Moisés, Deus diz: “Eu ouvi, vi os clamores do meu povo e desci para socorrê-los; vá eu te envio”.

A fundadora das Irmãs Franciscanas Penitentes Recoletinas de Oirschot- Madre Joana de Jesus, desejosa de uma vida contemplativa, é apaixonada pelo crucificado, pela Eucaristia e vivência da penitência na conversão diária. A resposta aos apelos da Igreja na sua época, sua opção pela clausura não foi empecilho para atender as jovens filhas de lavradores necessitadas de educação e os doentes sem amparo num contexto de guerra; atendendo-os em suas residências com os recursos de que dispunha.
 

“Chamado e resposta” se renovam de
acordo com
as interpelações
da Igreja, da
realidade e sinais
dos tempos

No dia 23 de abril deste o ano, nossa congregação comemora 90 anos de presença no Brasil – Vale do Jequitinhonha. Deus nos chamou por meio do Frei José de Has, intermediário de Dom Serafim Gomes Jardim, para cuidar da educação da Juventude no Vale do Jequitinhonha, precisamente, na cidade de Araçuaí. E nós, Irmãs holandesas, ouvimos os clamores da juventude que carecia de uma educação mais aprimorada e dos empobrecidos que sentiram na acolhida das irmãs, a ternura de Deus.

A escassez era tamanha que a região escolhida para a nova morada das Penitentes Recoletinas Holandesas era denominada “vale da miséria”. Depois de 90 anos perguntamos: como foram possíveis tantas proezas? Superar tantas provações? Somente a graça, a presença de Deus pode realizar tantas maravilhas. É no caminhar que o vocacionado vai descobrindo, experimentando o amor de Deus. Vai renovando o seu sim nas encruzilhadas; alimentando a paixão por Ele e pelos seus prediletos os pobres.

“Chamado e resposta” se renovam de acordo com as interpelações da Igreja, da realidade e sinais dos tempos. Celebrando os 90 anos de inserção no Vale do Jequitinhonha fizemos memória dessa presença amorosa de Deus através do lúdico: teatro, cantoria desfile. Na celebração Eucarística, Irmã Ana da Glória nossa ex- geral foi enviada para missão na diocese de Pemba- Moçambique. Foi uma coincidência, decisão nossa, gratidão pelos 90 anos de caminhada? Foi à providência Trinitária que nos agraciou com esta partilha da nossa pobreza!

Hoje, na releitura do nosso carisma, vemos que os valores da contemplação, a penitência, a ecologia e a fraternidade constituem nossa espinha dorsal no seguimento de Jesus, na missão a serviço da mulher em situação de fragilidade e daqueles que nos revelam na sua indigência a fraqueza de Deus que se fez um de nós.
 

Irmã Marilda Vieira Campos 
Congregação das irmãs franciscanas penitentes recoletinas de oirschot