Você está em:

Nota de solidariedade pelo falecimento do presidente da Academia Mineira de Letras Murilo Badaró

A Arquidiocese de Belo Horizonte manifesta solidariedade aos familiares e amigos do presidente da Academia Mineira de Letras, ex-ministro e ex-senador Murilo Paulino Badaró que morreu na noite desta segunda-feira. Um grande cristão, formado em direito pela Universidade Federal de Minas Gerais, ocupou vários cargos públicos. Autor de premiadas obras biográficas de homens públicos do país, o ex-ministro também foi colaborador do Jornal Estado de Minas, com centenas de artigos. Assumiu a presidência da Academia Mineira de Letras em 1998 e deixa um vasto acervo literário, entre eles: José Maria Alkimim, uma biografia – Gustavo Capanema – a revolução na cultura (Prêmio da Fundação Joaquim Nabuco) e Milton Campos, o pensador liberal. No próximo dia 30, iria a Brasília lançar sua última obra: O Homem que salvou a República – uma biografia de Bilac Pinto.
 
O corpo do ex-ministro Murilo Badaró será velado na sede da Academia Mineira de Letras, na Rua da Bahia, em BH, e sepultado ao meio dia desta terça-feira, no Cemitério do Bonfim.