Você está em:

Nossos planos podem não ser os de Deus

 

Fazer planos é próprio do ser humano. Simples, como decidir o que vestir em ocasiões especiais, ou complexos, como escolher os rumos profissionais, os planos estão presentes no cotidiano. Determinam o ritmo da vida: acelerado, tranquilo, audacioso, seguro ou estagnado.

Os planos são necessários, pois atuam como o motor que  faz o homem seguir adiante. Jesus, entretanto, quando ensinou como rezar, incluiu uma importante oração, cujo sujeito é o próprio Pai: “Seja feita a tua vontade, assim na terra, como no céu” (Mt, 6).

Ao elaborar os próprios planos e traçar metas e objetivos, portanto, o temente a Deus não deve ignorar a amplitude dos planos do Criador para seus filhos. A visão humana é limitada; consegue-se enxergar apenas o que está logo adiante. Mas, Deus vê além. Se o cristão reza como Jesus ensinou, dá a Ele a permissão de utilizar, modificar, adaptar ou transformar o planejamento anteriormente elaborado.
 

Reconhecer que Deus realiza Sua vontade na vida de seus filhos não impede que estes façam seus planos. Afinal, até os pássaros planejam e constroem seus ninhos

Deus acolhe os planos de seus filhos, mas como vê além, realiza a vontade Dele, atendendo, assim, a oração outrora realizada: “Seja feita a Tua vontade”. Reconhecer que Deus realiza Sua vontade na vida de seus filhos não impede que estes façam seus próprios planos. Afinal, até os pássaros planejam e constroem seus ninhos à espera dos ovinhos que estão para chegar.

José e Maria possivelmente construíram planos para a união matrimonial prestes a acontecer: expectativas, festa, convidados, móveis, custos, filhos, tantos planos quantos sonhos voltados para um futuro desejado e sonhado. Deus, contudo, tinha outros planos para aquele casal. Ao aceitar livremente que a vontade de Deus se realizasse, eles não somente alcançaram seus planos, como também permitiram que o milagre de Deus acontecesse por meio de suas vidas.

José e Maria tinham toda a liberdade de dizer não à vontade de Deus. Poderiam ter realizado o que anteriormente tinham planejado. Com certeza, Deus não os castigaria por isso. Mas, lançar-nos nos braços de Deus e reconhecê-lo como verdadeiro Senhor de nossas vidas, faz com que nossa alma clame “Senhor, seja feita a Tua vontade”. Foi assim que José e Maria fizeram. E, assim, alcançaram a verdadeira felicidade.

Deixemos que a letra da música: “Ele quer te fazer feliz, tem muitos planos e sonhos pra ti. Basta confiar, saber esperar, e Ele agirá” acalme as inquietudes do coração e permita que cada coração esteja preparado para acolher Jesus Cristo. E que Ele, da mesma forma que transformou os planos de José e Maria, possa alcançar, à luz da vontade do Pai, cada plano, sonho e esperança, renovando a fé e consolidando em  cada coração a certeza de que a vontade de Deus é sempre a felicidade de seus filhos.

 

Renata M. B. Torres
Comunidade Católica Alpha e Ômega