Você está em:

Mês da Bíblia: iniciativa foi criada na Arquidiocese de Belo Horizonte

O mês de setembro, que está se encerrando, é celebrado pela Igreja Católica, de maneira muito especial, como o Mês da Bíblia. As paróquias e comunidades da Arquidiocese de Belo Horizonte realizaram, durante todo o mês, diversos momentos de estudo, leitura orante, círculos bíblicos e atividades com os grupos de catequese.

O que muitos não sabem é que a iniciativa de dedicar um mês ao estudo da Bíblia foi criada na Arquidiocese de Belo Horizonte.

O Mês da Bíblia surgiu em 1971, enquanto era celebrado o cinquentenário da Arquidiocese. As irmãs Paulinas apresentaram a proposta de realização de um movimento bíblico durante o mês de setembro, que atingisse todos os segmentos da Arquidiocese: paróquias, colégios, hospitais, penitenciárias, veículos de comunicação, instituições religiosas e outros. Surgia, então, em uma iniciativa da Arquidiocese de Belo Horizonte em comunhão com as Irmãs Paulinas, o Mês da Bíblia. A escolha do mês de setembro se deu em função da data em que se recorda o falecimento de São Jerônimo, considerado padroeiro de todos os que se dedicam ao estudo da Bíblia.  

A partir desta iniciativa, foram criados cerca de 700 grupos de leitura, oração e reflexão que foram chamados de “círculos bíblicos”. O grande entusiasmo de todos e o bonito trabalho realizado fizeram com que rapidamente a iniciativa fosse implementada nas (arqui)dioceses do Regional Leste II da CNBB e em todo o Brasil.

“Hoje, com muita alegria, podemos dizer que diversos países da América Latina e da África também celebram o Mês da Bíblia. Posso dizer isso como testemunha, pois em um período de trabalho missionário em Angola, vi que eles vivenciam com alegria o mês da Bíblia, que foi iniciado em nossa Arquidiocese de Belo Horizonte” disse a irmã paulina Elisabete Corazza.

O bispo auxiliar dom João Justino, em entrevista ao Portal Dom Total, ressalta a importância do estudo da Bíblia: “Nós, cristãos, cremos que o texto bíblico é Palavra de Deus revelada. Ela é “norma de todas as normas”, isto é, a doutrina não está sobre a Palavra de Deus, mas dela nasce e nela se inspira. Ela é o desdobramento da fé que busca compreender e da fé que elabora respostas às principais perguntas daquele que crê. Trata-se de uma fonte inesgotável como Palavra de Deus. É por isso que a Bíblia pode, deve e precisa ser mais conhecida”.