Você está em:

Memorial Minas de Esperança: campanário do Santuário Arquidiocesano Nossa Senhora do Rosário

O Centro de Treinamento de Líderes Dom José Dalvit, em Brumadinho, foi elevado a Santuário Arquidiocesano Nossa Senhora do Rosário. O decreto de criação do Santuário, do arcebispo dom Walmor, foi apresentado nesta segunda-feira, 25, durante a bênção da pedra fundamental do Memorial Minas de Esperança, homenagem às vítimas do rompimento da barragem com rejeitos de mineração da Vale.

O Memorial será o campanário do Santuário Arquidiocesano Nossa Senhora do Rosário. Com 20 metros de altura, terá cinco sinos. “O Campanário se compõe de três mãos, que sustentam a cruz, a cruz que é símbolo da Arquidiocese de Belo Horizonte, e no braço dessas mãos, que sustentam os sinos, colocaremos a placa com os nomes de todas as vítimas dessa tragédia. Recordando dos que já partiram, possamos trabalhar para valorizar a vida”, destacou dom Walmor, durante entrevista.

Após a bênção da pedra fundamental, em momento de oração presidido pelo bispo auxiliar dom Vicente Ferreira, os fiéis seguiram em procissão até a Igreja São Sebastião, Matriz de Brumadinho. A Igreja estava repleta de fiéis, com telões na área externa, para a Missa celebrada pelo Núncio Apostólico dom Giovanni D’Aniello, concelebrada por dom Walmor, muitos bispos do Regional Leste 2 da Conferência Nacional dos Bispos do Brasil (CNBB), padres e diáconos.

De modo caloroso, dom Giovanni transmitiu aos fiéis a solidariedade do Papa Francisco. “Eu quis também estar com vocês, presença de irmão na fé, que chora junto com todos”, disse o Núncio Apostólico.

Dom Giovanni orientou os fiéis a viverem o luto. “Mas não se deixarem vencer pelo desespero, medo e angústia”. O caminho a ser seguido, conforme o Núncio, é oferecer a Deus todas as dores. “Coragem, Brumadinho. Deus está contigo!”

Ato em homenagem às vítimas

Durante a Missa, muitos fiéis se emocionaram quando dom Vicente Ferreira cantou a música de sua autoria que é homenagem a Brumadinho. A mesma canção foi trilha do ato realizado para marcar um mês da tragédia, sobre a ponte do Rio Paraopeba, no início da tarde.

Pétalas de rosas brancas foram lançadas de um helicóptero sobre a cidade, em um bonito momento ecumênico.