Você está em:

A Jornada Arquidiocesana da Juventude foi celebrada carinhosamente por rapazes e moças da nossa Arquidiocese, no Domingo de Ramos. Os jovens foram recebidos com o calor e animação da Banda Sinal de Paz. De fato, foi um sinal de paz!

 

Meu Deus, como a nossa Juventude é bonita e acredita de verdade no Deus da Vida. Tudo foi banhado pelo seu ‘gingado’ especial: nas danças, brincadeiras, abraços, risos e na serenidade que compôs a Santa Missa celebrada pelo nosso querido arcebispo Dom Walmor Oliveira de Azevedo e pelo nosso bispo auxiliar, dom João Justino, que acompanha os jovens.

 

Havia vários padres, religiosos e muitas religiosas. Pareceu-me que o bom momento da Igreja Católica, com a presença riquíssima do nosso Papa Francisco, traz vigor novo no que se refere à preparação para a Jornada Mundial da Juventude, em julho, no Rio de Janeiro. A gente podia tocar na empolgação de nossos jovens e cada desafio nos impulsiona a lutar para que cada vez mais eles tenham vez e voz.

 

É muito importante que a Igreja Católica se abra mais e mais – como vem fazendo – para esta força juvenil. Só ela é capaz de transformar e trazer para ‘dentro’, o novo. Creio nessa Igreja que se abre para acolher, perdoar e amar os pobres e a Juventude. Creio no Cristo que se faz pão e se dá para que as pessoas tenham vida. Creio na Juventude, força e esperança de um mundo novo, de uma Igreja comprometida e viva.

 

 

E não podíamos terminar se não fosse a segunda banda Cristocada que deu o seu recado para que os jovens, no entardecer desse dia, emprestassem o seu brilho para fechar a noite, encerando as festividades já com vistas ao seu maior encontro: a Jornada Mundial da Juventude (JMJ). Agora, vamos preparar com entusiasmo a Semana Missionária em nossa Arquidiocese, que ocorrerá às vésperas da JMJ. Que bênção! Até mais juventude!

 

Irmã Maria Lúcia Araújo da Silva, RSCM
assessora do Secretariado Arquidiocesano da Juventude de BH