Você está em:

Instituto Dom João Resende Costa tem nova sede na PUC Minas

O Instituto Dom João Resende Costa passa a funcionar no prédio 4 da PUC Minas – campus Coração Eucarístico, após 21 anos de atividades no prédio 20. Uma celebração, na manhã do dia 26 de fevereiro, no auditório da PUC Minas, marcou a Abertura da nova sede.

A cerimônia foi conduzida pelo Arcebispo metropolitano de Belo Horizonte; Dom Walmor Oliveira de Azevedo; e pelo bispo auxiliar e reitor da PUC Minas, Dom Joaquim Mol. Após a missa, Dom Walmor abençoou o local, e, juntamente com Dom Mol, descerrou placa de instalação. Em seguida, com o diretor do Instituto, padre Antônio Francisco da Silva, visitaram as novas salas.

“Esta oportunidade nos remete a muitas lembranças, ao mesmo tempo em que nos põe em um horizonte largo e desafiador”, disse Dom Walmor. O Arcebispo abordou três perspectivas principais do Instituto: o seu caráter histórico; a iluminação que a palavra de Deus traz; e o compromisso com as missões da Igreja e da Universidade. Na ocasião, lembrou-se de padre Alberto Antoniazzi, que foi um teólogo e professor da PUC Minas preocupado com a presença da Igreja no mundo de hoje; e de Dom Antônio dos Santos Cabral, idealizador da Universidade.

Para Dom Mol, a mudança da sede representa uma modificação não só física, mas também simbólica, no sentido de que o Instituto precisa ganhar um espaço central na reflexão. “Estamos de fato no coração da Universidade, para que possamos olhar para o que está ao redor e façamos uma ligação com o que está em nosso entorno”, disse.

O diretor do Instituto, padre Antônio Francisco da Silva, expressou em suas palavras o desejo de ocupar um lugar central no campus Coração Eucarístico, considerado por ele como símbolo de uma universidade pontifícia, instituição de ensino católica vinculada à Santa Sé. “O que era sonho, hoje está se realizando, que é localizar-se no coração da Universidade”, frisou o padre, para quem a conquista foi fruto de muito esforço e trabalho. Para ele, a mudança para a nova sede não é um fato isolado, mas uma atitude que sela os compromissos que pulsam no coração da Universidade, da sociedade e da Igreja.