Você está em:

Instituições se unem para proteger o Santuário da Padroeira de Minas Gerais

Um grupo formado por representantes de diversas instituições se reuniu na última semana para efetivar o que determina a Constituição de Minas: a implantação do Monumento Estadual que abrange o Santuário Nossa Senhora da Piedade e toda a área que forma o seu entorno, com limites definidos pela Lei 15.178/2004.   O encontro, promovido pelo Ministério Público de Minas Gerais, reuniu representantes da Arquidiocese de Belo Horizonte,  Prefeituras de Sabará e de Caeté, Instituto Estadual do Patrimônio Histórico e Artístico de Minas Gerais (Iepha-MG), Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional (Iphan), Instituto Estadual de Florestas (IEF), Instituto Estrada Real, Movimento S.O.S Serra da Piedade, Polícia Militar de Meio Ambiente, Universidade Federal de Minas Gerais (UFMG), Instituto Ambiental Brasil Sustentável e Instituto Prístino.

Conforme explica o arcebispo dom Walmor, a implantação da unidade de conservação e monumento natural no território sagrado dedicado à Padroeira de Minas Gerais ocorre em momento oportuno, pois no próximo ano serão celebrados os 250 anos de peregrinação ao Santuário Nossa Senhora da Piedade. Com a implantação do Monumento, será criada uma estrutura de preservação adequada que contemplará todo o território. No encontro, ficou definido que o Instituto Estadual de Florestas (o IEF), órgão do Governo do Estado, em 20 dias, vai solicitar a inserção dos limites da unidade de conservação nos bancos de dados dos órgão competentes, inclusive no sistema de informações ambientais da Secretaria Estadual de Meio Ambiente e do cadastro nacional de unidades de conservação do Ministério do Meio Ambiente. O objetivo é tornar de conhecimento público a área protegida.   O IEF também se comprometeu a publicar, até o mês de junho, o edital para selecionar o conselho gestor do monumento natural, que reunirá representantes do poder público e da sociedade civil.
 

O Ministério Público de Minas Gerais vai providenciar, em 45 dias, o georreferenciamento das áreas protegidas da região, identificando o regime jurídico incidente sobre cada uma delas. Os promotores de Justiça Ana Elisa Cardoso Ribeiro e Marcos Paulo de Souza Miranda frisaram a importância de se definir um cronograma para adoção de medidas concretas, objetivando fazer com que a unidade cumpra os seus objetivos de preservação ambiental, cultural e fomento do turismo.
 

Desde 2010, a Arquidiocese de Belo Horizonte, guardiã do Santuário Nossa Senhora da Piedade, intensifica investimentos na preservação de todo o conjunto ecológico, arquitetônico, histórico, cultural e artístico desse território sagrado.  Essas ações têm contribuído para o crescimento do número de peregrinos que visitam o Santuário. Em 2010, 30 mil pessoas estiveram na Casa da Padroeira de Minas Gerais. No ano passado, 500 mil peregrinos visitaram o Santuário.

Leia matéria do Jornal Estado de Minas do dia 2 de maio, clique aqui.