Você está em:

Gestos que transformam vidas

 

Famílias inteiras da Paróquia Santa Luzia, no bairro Cidade Nova  (BH), têm suas vidas transformadas por gestos de solidariedade de voluntários que dedicam-se a ajudar a comunidade por meio do trabalho social e da evangelização. O Grupo Esperança Viva (GEV) e a Pastoral da Sobriedade atuam junto dependentes químicos e pessoas envolvidas com outros tipos de dependência. A Pastoral também oferece apoio aos que desejam agir preventivamente, orientando as crianças e adolescentes de suas famílias.  Um importante trabalho de socialização e amparo aos mais pobres é realizado pelos grupos Voluntárias e Fuxico do Bem.

 

O Grupo Esperança Viva (GEV) é um grupo de autoajuda que tem como objetivo apoiar  dependentes químicos e suas famílias – que são consideradas codependentes – trabalhando a recuperação por meio do evangelho. O pressuposto é que a família adoece junto com o dependente químico e também precisa de atenção especial.

Aqueles que necessitam têm ainda a chance de buscarem a recuperação em uma  unidade da Fazenda Esperança – em Minas são cinco fazendas com unidades destinadas a homens e mulheres separadamente. O processo dura em torno de 12 meses e é fundamentado em três pilares: trabalho, convivência e espiritualidade. Uma iniciativa que deu certo e, segundo os responsáveis pelo GEV, tem sido decisiva para a restauração de muitas famílias.

 

A Pastoral da Sobriedade também oferece oportunidade para a superação das dependências sejam elas química  ou  de outros tipos, a exemplo da compulsão por comida, jogo, consumo etc.

O grupo de autoajuda  orientado pela Pastoral além de oferecer apoio, oferece conhecimento para  o próprio dependente e suas famílias lidarem com a situação de forma apropriada e mais eficaz. Os agentes de pastoral submetem-se a um processo de formação ministrado pela Arquidiocese de Belo Horizonte, recebendo, ao final, uma espécie de guia com orientações.

Na Paróquia Santa Luzia,  nove agentes fizeram esse curso de formação. Hoje, eles trabalham também com a prevenção,  orientando pais e familiares sobre a melhor maneira de evitar que  as crianças e os adolescentes se envolvam com as  drogas.

 As reuniões da Pastoral da Sobriedade ocorrem uma vez por semana  e no ritmo dos depoimentos de seus participantes.  A leitura do Evangelho e o compartilhamento de experiências são  pontos de partida para o desenvolvimento do trabalho. Uma dinâmica que tem contribuído para transformar relacionamentos com a comunidade e na família.

Fuxico do Bem

 

 

O Grupo Fuxico do Bem é formado por fiéis da Paróquia Santa Luzia, do bairro Cidade Nova, que com amor e dedicação, querem contribuir com a evangelização e a construção de um mundo melhor. Elas se reúnem uma vez por semana na Paróquia, para produzir peças de artesanato, que são comercializadas e a renda revertida em gêneros de primeira necessidade para instituições beneficentes e famílias de baixa renda.

Hoje são 37 voluntárias que integram o grupo batizado de “Fuxico do bem”, em virtude de todas as peças desenvolvidas nascerem ou terem em seu contexto o trabalho artesanal chamado fuxico.

Desde a fundação, há sete anos, vários outros produtos foram criados e hoje são confeccionados: jogos americanos, chaveiros, bijuterias, panos de prato, marca páginas para livros, porta-moeda e  mais o que a criatividade permitir. Tudo é comercializado e a renda obtida, direcionada para evangelização, instituições ou pessoas que estejam necessitando de ajuda.

O objetivo das integrantes do grupo é serem solidários. Com o dinheiro das vendas, elas ajudam famílias e instituições que desenvolvem trabalhos sociais. Atualmente, comunidades do Bairro Taquaril  recebem ajuda do Fuxico do Bem, que é direcionada por duas assistentes sociais. As artesãs também  produzem  kits para recém nascidos, ajudando, assim, mães carentes.

 

As 35 integrantes do Grupo Voluntárias da Paróquia Santa Luzia se encontram uma vez por semana. Depois de lerem um texto bonito e refletirem sobre sua mensagem,  elas põem as mãos à obra  produzindo bordados, peças em crochet e pinturas em tecidos,  que são comercializadas nos dois bazares realizados durante o ano.

No local de trabalho elas também vendem parte do que produzem.  Os moradores da região já se acostumaram a comprar lembrancinhas das voluntárias da Paróquia, às quartas-feiras, quando elas se reúnem para trabalhar.

Este ano, essas senhoras já promoveram uma tarde de caldos quando também colocaram seus produtos a venda, distribuindo o dinheiro arrecadado entre os vicentinos , a paróquia,  pessoas que precisavam de cadeiras de roda e para uma família que precisava  consertar o banheiro de casa e não tinha condições financeiras.  Para o segundo semestre, como  é de costume, elas vão realizar um bingo para 300 pessoas.

Voluntárias da Paróquia Santa Luzia

 

As 35 integrantes do Grupo Voluntárias da Paróquia Santa Luzia se encontram uma vez por semana. Depois de lerem um texto bonito e refletirem sobre sua mensagem,  elas põem as mãos à obra  produzindo bordados, peças em crochet e pinturas em tecidos,  que são comercializadas nos dois bazares realizados durante o ano.

No local de trabalho elas também vendem parte do que produzem.  Os moradores da região já se acostumaram a comprar lembrancinhas das voluntárias da Paróquia, às quartas-feiras, quando elas se reúnem para trabalhar.

Este ano, essas senhoras já promoveram uma tarde de caldos quando também colocaram seus produtos a venda, distribuindo o dinheiro arrecadado entre os vicentinos , a paróquia,  pessoas que precisavam de cadeiras de roda e para uma família que precisava  consertar o banheiro de casa e não tinha condições financeiras.  Para o segundo semestre, como  é de costume, elas vão realizar um bingo para 300 pessoas.

As atividades não param por aí. No meio do ano  os  integrantes do Encotnro de Jovens com  Cristo e  do Encontro de Casais com Cristo apoiam a Legião de Maria na promoção  de uma bonita e animada Festa Junina. Já no final de ano, os paroquianos se envolvem na realização de uma festa para os catadores de papel. Para esse evento são produzidas  1.200 pizzas e distribuídas cestas básicas.