Você está em:

Fiéis celebram memória de padre Eustáquio

Durante todo o dia 30 de agosto, sexta-feira, milhares de fiéis visitaram a paróquia Sagrados Corações, no bairro Padre Eustáquio, para celebrar a memória do bem-aventurado padre Eustáquio, conhecido como o mensageiro da saúde e da paz.

O arcebispo metropolitano de Belo Horizonte, dom Walmor Oliveira de Azevedo, presidiu Missa às 12h  concelebrada pelos padres da paróquia. Dom Walmor ressaltou a personalidade solidária do beato “A data de hoje marca os 70 anos do definitivo nascimento de padre Eustáquio, de sua passagem para a vida eterna. Que ele continue sendo para nós uma referência de vida, um exemplo permanente. Devemos ser solidários como ele, ajudando todos a encontrarem o caminho da esperança”.

Ao final da celebração, o arcebispo deu a bênção dos objetos e pediu para os fiéis desejarem saúde e paz uns aos outros. A Missa foi transmitida ao vivo pela Rádio América, veículo de comunicação da Arquidiocese de Belo Horizonte.

O padre Marcus Vinícius Maciel, provincial dos Sagrados Corações e vice-postulador da causa de canonização de padre Eustáquio, disse que um número cada vez maior de devotos procura a paróquia e participa das celebrações em memória de padre Eustáquio. “Padre Eustáquio sempre lutou para que todos vivessem bem, com saúde no corpo e paz no coração. Ouvimos todos os dias pessoas que nos contam sinais de graças alcançadas pela intercessão de padre Eustáquio. Várias dessas histórias de vida já foram documentadas e o processo de canonização já está em andamento no Vaticano”.

Além da celebração de 12h, ao longo do dia foram celebradas missas às 6h, 8h, 10h,  14h, 16h e 18h. Às 20h o bispo-auxiliar dom Joaquim Mol presidiu celebração que foi transmitida ao vivo pela TV Horizonte. Na paróquia Beato Padre Eustáquio, em Esmeraldas, o bispo-auxiliar dom Luiz Gonzaga Fechio presidiu Missa às 19h.

Leia aqui o artigo “Saúde e paz” de dom Walmor Oliveira de Azevedo.

Padre Eustáquio nasceu na Holanda em 3 de novembro de 1890. Filho de uma família muito católica, desde muito cedo desejou ser padre. Foi um dos três primeiros padres da congregação dos Sagrados Corações enviados ao Brasil. Seu primeiro campo pastoral foi Água Suja (hoje Romaria), no interior de Minas, onde permaneceu por 10 anos. Em abril de 1942 foi enviado para Belo Horizonte para cuidar de uma paróquia recém-criada, a São Domingos. A matriz provisória funcionava na capela Cristo Rei, Vila Celeste Império. Aos 16 de maio de 1943 lançou a pedra fundamental da atual Igreja dos Sagrados Corações, conhecida como Igreja do Padre Eustáquio, no bairro Padre Eustáquio. Mas aos 30 de agosto do mesmo ano veio a falecer, sua partida comoveu toda a cidade de Belo Horizonte. O processo de Beatificação de Padre Eustáquio terminou com a grande solenidade da Festa de Corpus Christi, em Belo Horizonte, no dia 15 de junho de 2006. No Estádio Mineirão superlotado de devotos, na chamada “Torcida de Deus”, o delegado do Papa, Cardeal Saraiva Martins declarou oficialmente Padre Eustáquio com Beato.