Você está em:

Preparando o ambiente

Preparar bem o ambiente: mesa, toalha, flores, Bíblia, vela, crucifixo, imagens de Jesus recortadas em revistas ou quadros. Se possível, colocar as cadeiras em forma circular.

Ver a realidade

Iniciar o encontro com esta dinâmica: convidar alguns catequizandos, crianças ou jovens para o meio do círculo. Uns ficarão de olhos tapados com um lenço, outros irão orientá-los, mas sem falar. Colocar vários obstáculos pelos quais os jovens de olhos tampados serão conduzidos. Destampar os olhos e deixar que os participantes partilhem a experiência. Perguntar: como se sentiu caminhando sem poder enxergar? Que sentimentos experimentou ao se deixar conduzir pelo colega? (Partilhar).

Ver com os olhos da fé  

Ter fé é acreditar em Jesus Cristo (Mt 16, 13-17)
A fé é dom de Deus; sendo dom, é graça de Deus. Ela nos é dada para que possamos desenvolvê-la, cuidar, deixar desabrochar  e manifestar-se em nós. A fé é uma virtude pela qual cremos em Deus e em tudo o que Ele  nos revelou. É compromisso. Ela nos leva ao comprometimento com Deus que nos ama, mas também ao comprometimento com o outro, o meu próximo, ou aquele de quem eu preciso  me tornar próxima. Assim, a fé tem também suas exigências: convida-nos a darmos testemunho dos ensinamentos de Jesus.

Como toda semente jogada na terra precisa de cuidados para se desenvolver e crescer, assim também é a fé, semente colocada no coração do homem e que necessita de cuidados para dar bons frutos. Não para a nossa própria satisfação, mas para o nosso crescimento humano junto com os demais irmãos e irmãs. Amar e se deixar amar nessa relação de gratuidade para com o próximo nos faz perceber Deus. E o que nos leva a fazer essa experiência de Deus é o acreditar no seu amor, é ter fé.

Deus nos dá a vida

E o que é a vida? Ela é amor, esperança, paz, perdão, liberdade, gratuidade, diálogo, justiça, pão partilhado, boa vivência na comunidade, na família, nos ambientes de festas, ou seja, é o amor pleno de Deus no coração de cada um, lugar onde é germinado. Dali ele deve sair para ir ao encontro do outro. O meu sim a Jesus Cristo me leva a dizer sim à vida, à comunidade, à Igreja e a todos os meus irmãos na fé.

Então nos perguntamos: Porque tantos desamores e tanta violência no mundo?  Tantos males e sofrimentos não são frutos da vontade de Deus, mas muitos males são causados pelo ser humano que desrespeita o projeto de Deus, aquele projeto da construção do Reino que Jesus veio nos revelar e nos convidar para juntos  construí-lo. Para Jesus, a vivência do amor nos faz felizes e participantes do Reino de Deus (Mt, 5,7).

Observemos o exemplo de Maria, a mãe de Jesus, aquela que escutou e acolheu e amou a Palavra de Deus, que carregou em seu seio a Palavra viva, que fez a grande experiência do amor e da fidelidade de Deus, por meio de Jesus Cristo. Ela meditava e guardava a Palavra de Deus no coração, colocando-a em prática (cf. Lc 11,27-28; Lc 8,19-21).

A vivência da fé e a religião

Quem tem fé pratica as verdades da religião. A religião é a sustentação da nossa fé. Com Jesus aprendemos a amar e a servir. Com ele podemos aprender muita coisa do seu jeito de viver. Se gostamos dele, somos convidados a segui-lo. E seguir Jesus é seguir seu  estilo de vida. Ele constantemente chama: homens e mulheres, rapazes e moças, jovens e crianças. Convoca todos em vista do amor para com o mundo.  E para ser essa pessoa de fé é preciso estar sempre pronto a prestar contas a respeito de tudo aquilo que a impele, do que vivencia e de que direção está dando à sua vida. A fé cristã é sempre um desafio que provoca a descoberta daquilo que se é como pessoa e quais as capacidades que ela tem para vivenciar encontros verdadeiros que possibilitam  a própria transformação.

Agir

Olhando para o mundo de hoje, como viver a fé, o amor ao próximo?

Como  ajudar o nosso irmão de fé?

Estou vivendo como Jesus gostaria?

 

Oração

 

Rezar a profissão de fé meditando bem sobre o que se diz: Eu creio em Deus Pai. Creio em Jesus Cristo, Creio no Espírito Santo que santifica a minha Igreja.

 

Neuza Silveira de Souza
Coordenadora da Comissão Arquidiocesana Biblico-catequética de BH