Você está em:

Exposição Concílio Vaticano II: até 22 de novembro no Memorial da Arquidiocese

A Exposição Concílio Vaticano II pode ser vista no Memorial da Arquidiocese de Belo Horizonte até o dia 22 de novembro. A mostra, que foi aberta no dia 11 de outubro de 2012, apresenta, entre os objetos históricos expostos um solidéu utilizado pelo Papa João XXIII, um cálice que foi do Papa Paulo VI e um caderno com anotações de dom João Resende Costa,

O Exposição faz parte das celebrações dos 50 anos de abertura do Concílio Vaticano II e dos 20 anos do Catecismo da Igreja Católica no contexto da abertura do Ano da Fé.

As visitas podem ser feitas de segunda a sexta-feira, das 13h30 às 16h30. O endereço do Memorial é Praça Duque de Caxias, 200, bairro Santa Teresa, Belo Horizonte.

Concílio Vaticano II

O Concílio Vaticano II foi um grande acontecimento em que bispos do mundo inteiro, em comunhão com o Papa, buscaram esclarecer questões de fé, da moral ou da vida prática da Igreja. Convocado pelo Papa João XXIII no dia 25 de dezembro de 1961 e solenemente aberto no dia 11 de outubro de 1962, o Concílio teve o objetivo de preparar a Igreja para anunciar o Evangelho em uma sociedade que, conforme explicou o Papa João XXIII, caracteriza-se por “um grande progresso material que não é acompanhado por um desenvolvimento no campo moral”.

A partir do Concílio Vaticano II, 16 documentos foram publicados, entre eles: a Lumen Gentium (o que é a Igreja), a Dei Verbum (como Deus se revelou e como a Igreja guarda essa revelação), a Sacrosanctum Concilium (como a Igreja celebra o mistério de Cristo) e a Gaudium et Spes (como a Igreja se coloca no mundo). Encerrado pelo Papa Paulo VI no dia 8 de dezembro de 1965, as reflexões do Concílio devem iluminar a vida da Igreja. “É preciso que toda a vida da Igreja seja impregnada e renovada pelo vigor e pelo espírito do Concílio, é preciso que as sementes de vida lançadas pelo Concílio no campo que é a Igreja cheguem à plena maturidade”, afirma Paulo VI.