Você está em:

Ermida da Padroeira de Minas será reaberta neste sábado

 

A Ermida e a Imagem de Nossa Senhora da Piedade serão apresentadas aos fiéis, após longo e complexo processo de restauração.  Além das melhorias , o trabalho  buscou  manter as características originais da singela construção do século 18,  espaço considerado o coração do Santuário. Uma programação especial  foi elaborada para receber os milhares de devotos, autoridades e religiosos que são aguardados para no Santuário da Padroeira do Estado de Minas Gerais, nos dias 22 e 23 de novembro. As celebrações serão transmitidas por emissoras de rádio e Televisão, e  dom Walmor convida todos a participarem desse importante momento de devoção, cultura e fé.

Neste final de semana, os fiéis verão as esquadrias em madeira, piso e forro, completamente restaurados. Um novo guarda-corpo foi colocado em frente à Ermida, na Praça Cardeal Mota.  Facilitar o acesso de cadeirantes e de outras pessoas que têm dificuldade para se locomover foi uma das principais preocupações dos responsáveis pelo projeto de reforma, conforme destaca a arquiteta da Cúria Metropolitana, Daniela Duarte.  “As pessoas com dificuldade de locomoção têm, agora, mais facilidade para se movimentar com a construção de rampas de acesso para a Ermida e para o restaurante. Também foram instalados mais corrimões no entorno do alto da Serra”.

As obras englobaram novos projetos de iluminação externa e interna, redes hidráulicas, novos sistemas comunicação e sonorização. O restauro também incluiu o antigo espaço dos eremitas, o Eremitério Monsenhor Domingos.  Nesse espaço, uma sala foi dedicada ao novo estúdio da Rede Catedral de Comunicação Católica, especialmente preparado para transmissões ao vivo diretamente do Santuário Nossa Senhora da Piedade.

De acordo com Daniela Duarte, a revitalização abrange também a preparação de uma infraestrutura que permitirá a transmissão de Missas celebradas na Ermida. Além do estúdio que ficará no Eremitério, as mudanças incluiram a instalação de novos pontos de energia e cabeamentos adaptados para as câmeras.

Imagem de Nossa Senhora da Piedade

Este fim de semana será especial para os devotos de Nossa Senhora da Piedade, quando a imagem da Padroeira de Minas, esculpida no século 18 pelo mestre Aleijadinho, será devolvida para seu altar.  A obra, que  passou por um processo de restauração durante os últimos  dez meses será  apresentada aos fiéis.

Todo o trabalho de restauração da imagem de Nossa Senhora da Piedade foi realizado no próprio Santuário, em um ateliê montado na Casa dos Peregrinos Dom Silvério. A partir de agora,  ela poderá ser vista pelos mais de 150.000 mil peregrinos, que todos os anos passam pelo Santuário para pedir, agradecer e buscar o colo da Mãe Piedade. “É gratificante ver o verniz e o douramento da imagem retomarem o brilho e as cores recuperarem seus tons vibrantes, à medida que se retira a poeira aderida à tinta”, afirma a restauradora responsável, Carla de Castro. Ela se entusiasma ao falar sobre as características da obra do artista Aleijadinho. “Podemos citar, como exemplo, os cabelos do Cristo com a terminação ondulada e estriada, a barba bipartida e os olhos de vidro, grandes, rasgados e amendoados. Outra característica própria do sistema construtivo de Aleijadinho é a técnica de escavar a peça por dentro, deixando-a oca, para evitar rachaduras”.

O cuidado com  a história, a fé e a espiritualidade

Nos últimos quatro anos, o complexo arquitetônico, histórico, paisagístico e cultural do Santuário Nossa Senhora da Piedade passou por importantes mudanças. Foram restaurados o Espaço Dom João Resende Costa – Restaurante, a Casa dos Peregrinos Dom Silvério e a Igreja Nova das Romarias. Houve ainda a instituição do Espaço Padre Virgílio Resi e Espaço Boas Lembranças. As vias de acesso ao Santuário também foram melhoradas, com a instalação do portão dos peregrinos e recapeamento das estradas.  

“Restaurar esse patrimônio natural de magnifica arquitetura divina e cuidar com especial carinho da Ermida de nossa Padroeira, preservando essa casa de clemência e bondade é, antes de tudo, um gesto de quem deseja manter viva a espiritualidade, a história, a cultura e o belo”, afirma padre Fernando César, reitor do Santuário.

Além da devoção a Nossa Senhora, o reitor do Santuário da Padroeira de Minas acredita que o lugar atrai tanta gente pelo silêncio, característica de um território que está a 1746 metros de altitude. “A experiência com o sagrado que as pessoas fazem aqui é indescritível, algo que na planície, no cotidiano das metrópoles, nas idas e vindas do dia a dia, elas não conseguem encontrar”.