Você está em:

Ermida da Padroeira de Minas é reaberta após longo e complexo processo de restauração

 

Centenas de fiéis puderam rever a Ermida e a Imagem de Nossa Senhora da Piedade, apresentadas ao público, após longo e complexo processo de restauração. Com uma programação especial, Santuário da Padroeira do Estado de Minas Gerais  recebeu devotos, autoridades e religiosos, nos dias 22 e 23 de novembro, em importante momento de devoção, cultura e fé.

 

A Ermida foi reaberta durante solenidade presidida por dom Walmor e a imagem de Nossa Senhora da Piedade, obra do mestre Aleijadinho, foi devolvida ao altar após um longo processo de restauração que durou 10 meses. As esquadrias em madeira, o piso e o forro da Ermida foram completamente restaurados. Um novo guarda-corpo foi colocado em frente à igreja, na Praça Cardeal Mota.

Facilitar o acesso de cadeirantes e de outras pessoas que têm dificuldade para se locomover foi uma das principais preocupações dos responsáveis pelo projeto de reforma, conforme destaca a arquiteta da Cúria Metropolitana, Daniela Duarte.  “As pessoas com dificuldade de locomoção têm, agora, mais facilidade para se movimentar com a construção de rampas de acesso para a Ermida e para o restaurante. Também foram instalados mais corrimões no entorno do alto da Serra”.

As obras englobaram novos projetos de iluminação externa e interna, redes hidráulicas, novos sistemas comunicação e sonorização. O restauro também incluiu o antigo espaço dos eremitas, o Eremitério Monsenhor Domingos.  Nesse espaço, uma sala foi dedicada ao novo estúdio da Rede Catedral de Comunicação Católica, especialmente preparado para transmissões ao vivo diretamente do Santuário Nossa Senhora da Piedade.

A revitalização abrange também a preparação de uma infraestrutura que permitirá a transmissão de Missas celebradas na Ermida. Além do estúdio que ficará no Eremitério, as mudanças incluiram a instalação de novos pontos de energia e cabeamentos adaptados para as câmeras.