Você está em:

Encontro fortalece ainda mais a presença de grupos de fé e política na Arquidiocese de BH

Grupos de fé e política reuniram-se na PUC Minas – Unidade Coração Eucarístico, neste sábado, 26 de outubro, para o 2º Encontro de Fé e Política da Arquidiocese de Belo Horizonte. Bispos, sacerdotes, professores, líderes comunitários e parlamentares participaram do evento, que teve como tema “A importância da participação política dos cristãos: os grupos de fé e política”. Logo no início dos trabalhos, os participantes foram saudados pelo arcebispo dom Walmor e pelos bispos auxiliares dom Joaquim Mol, dom Luiz Gonzaga Fechio e dom Wilson Angotti.

Dom Walmor disse que os grupos de fé e política têm uma indispensável tarefa educativa e, muitas vezes, corretiva, referindo-se ao poder que estes grupos têm de mudar a política partidária. O arcebispo acrescentou que a fé traz uma grande luminosidade, “capaz de manter todos numa linha que seja de serviço à cidadania”.
 

Pouco antes desta saudação, os participantes acompanharam palestra do padre João Batista Libanio, SJ. O sacerdote jesuíta falou sobre as manifestações populares que ocorreram em junho no Brasil. Padre Libanio argumentou que, cada vez mais, o país avança em direção ao modelo de democracia participativa. Ele acredita que novas mobilizações devem acontecer e destacou a importância das redes sociais para a articulação de grupos. Sobre este aspecto, o sacerdote lembrou que o “Brasil é um dos países mais conectados”. Ressaltou também que é preciso trabalhar para que “essas redes consigam assumir projetos sociais”.
 

Em seguida, o bispo auxiliar dom Joaquim Mol falou sobre a proposta de reforma política, elaborada por diversas entidades, de representação nacional, com a coordenação da Conferência Nacional dos Bispos do Brasil (CNBB). Estas entidades, que formam a Coalizão Democrática pela Reforma Política e Eleições Limpas, além de estarem organizando uma coleta de assinaturas para garantir a tramitação desta proposta de reforma política, trabalham para que o Supremo Tribunal Federal julgue Ação de Inconstitucionalidade, proposta pela Ordem dos Advogados do Brasil, sobre o financiamento de campanhas eleitorais por empresas.
 

Dom Mol, que preside a Comissão Especial para a Reforma Política da CNBB, esteve reunido nesta semana com o presidente do Supremo Tribunal Federal, ministro Joaquim Barbosa, para pedir celeridade no julgamento desta ação. O objetivo, de acordo com dom Mol, é garantir a proibição do financiamento de campanhas por empresas já nas próximas eleições de 2014.
 

O Bispo falou também que a participação dos grupos de fé e política faz parte da história da Arquidiocese de BH. Disse que as pequenas e grandes ações, no interior das comunidades de fé, podem mudar realidades. E lembrou que a 4ª Assembleia do Povo de Deus, realizada no ano passado, indicou a necessidade de se fortalecer a presença destes grupos.
 

Os cerca de 250 participantes do encontro, representando as diversas regiões episcopais da Arquidiocese de BH, acompanharam ainda apresentações de iniciativas desenvolvidas por grupos nas comunidades de fé. Na parte da tarde, divididos em equipes, viveram momentos de reflexão e planejamento.
 

O coordenador do Núcleo de Estudos Sociopolíticos da Arquidiocese de Belo Horizonte, professor Robson Sávio, ressaltou a importância do encontro, sobretudo no atual contexto, quando a sociedade se prepara para as eleições de 2014. “É hora de fortalecer a consciência cidadã”, sublinhou.