Você está em:

Encontrar Jesus no Evangelho de João

Jesus  é  o  Caminho

 

 

Hoje, refletiremos sobre uma metáfora que o evangelista João usa para nos dizer quem é Jesus. João diz que Jesus é o CAMINHO.
(Para este encontro, vamos preparar o ambiente colocando a Bíblia, um caminho feito de pedras, um par de sandálias, uma gravura com pegadas…

No Antigo Testamento, a Torá é chamada “O Caminho”

A Torá, também chamada “A LEI”, é um livro de ensinamentos para os judeus, que indica o caminho para chegar à verdadeira felicidade, assim como Deus a quer para seus filhos. Na Bíblia, há salmos que cantam a beleza dessa lei de Deus (Sl 19 e 119). Vamos ler, agora, a segunda parte do Salmo 19,8-15 e apreciar sua beleza. (tempo para reflexão)

Jesus é a Torá viva

Jesus vivia a Torá, valorizava-a. Quando criticava certos legalismos, ele o fazia justamente para livrar a Torá de uma interpretação errônea. Jesus diz sobre si mesmo: ”EU SOU O CAMINHO” (Jo 14,6). Assim, a Torá continua em Jesus, com toda sua pureza. Jesus mostra o caminho para se viver conforme os mandamentos de Deus e ajuda a encontrar a felicidade. Vamos ler, agora, o capítulo 14, 1-11. (tempo para a leitura)

Os primeiros cristãos eram chamados membros do “Caminho”

Era o nome que se dava aos membros do movimento de Jesus.
No livro Atos dos Apóstolos, Paulo relata sua conversão. No capítulo 22, 4, ele diz: “Persegui até à morte os adeptos deste caminho, prendendo homens e mulheres e lançando-os na prisão.” Ainda em Atos dos Apóstolos 24,22, lemos: “Felix estava bem informado a respeito do Caminho…”.

Jesus é o Caminho que leva ao Pai

Jesus disse: “Eu sou o Caminho, e ninguém chega ao Pai senão por mim” (Jo, 14,6).
Vamos refletir um pouco mais sobre essas palavras.

Quando dizemos que Jesus é o Caminho, geralmente pensamos no seguimento de Jesus, andar no caminho junto com ele, ouvir seus ensinamentos e colocá-los em prática. Mas, no Evangelho de João, Jesus diz algo mais: “Eu sou o CAMINHO, e ninguém chega ao Pai senão por mim”. O que ele quer dizer com isto?
Jesus quer dizer: “Se vocês querem conhecer a Deus, nosso Pai, devem olhar para mim, escutar minhas palavras.”

Sabemos que Deus é invisível. Ninguém O viu, nem ouviu. É por meio de Jesus que o Pai se dá a conhecer e nos  fala. Dizemos que Deus se revelou em Jesus. Jesus é o porta voz do Pai, Ele é o rosto do Pai. Jesus nos conduz ao Pai. Podemos nos perguntar: Jesus nos leva, realmente, ao Pai, ou ficamos parados em Jesus?  Mas, Jesus diz que Ele não é o ponto final. O ponto final é o Pai.

Quando lemos com atenção os evangelhos, vemos como Jesus está sempre voltado para o Pai. Ele O chama de “Abbá” (Papai). Ele procura a vontade do Pai em tudo e quer levar todos ao Pai, fazer descobrir o amor e a misericórdia do Pai, rezar ao Pai. Ensina a oração do Pai Nosso: “PAI nosso…”

Paremos um pouco e reflitamos. Encontramos o Pai que Jesus nos revelou? Ou temos uma imagem de Deus diferente da imagem que Jesus nos revelou? Em nossas orações, nos dirigimos também ao Pai?

Vamos celebrar
a) Olhando os símbolos, podemos cantar:
Vós sois o Caminho, a Verdade e a Vida, / o Pão da alegria descido do céu.
Nós somos caminheiros que marcham para o céu.
Jesus é o Caminho que nos conduz a Deus.
Jesus, Verdade e Vida, Caminho que conduz
as almas peregrinas que marcham para a luz.

b) Na liturgia, a Igreja nos ensina a dirigir-nos ao Pai, glorificando-O e bendizendo. Já refletimos, alguma vez, por exemplo, sobre a oração no início da oração do Glória?
Nós Vos louvamos,
nós Vos bendizemos,
nós Vos adoramos,
nós Vos glorificamos,
nós Vos damos graças por vossa imensa glória…

A parte mais importante da Missa é a Oração Eucarística que começa com o prefácio. É uma oração totalmente dirigida a Deus Pai. Louva ao Pai, agradece, reza pela Igreja, pelos falecidos, pelo povo de Deus. E, no final, toda a assembléia proclama:
Por Cristo, com Cristo e em Cristo,
a Vós Deus Pai todo poderoso,
na unidade do Espírito Santo,
toda a honra e toda a glória,
agora e para sempre.
Todos cantam o Amém!

Tudo termina em Deus Pai. Cristo está rezando conosco. Ele está no meio de nós e, junto com Ele, nos dirigimos ao Pai.

A oração do Pai Nosso, ensinada por Jesus, se dirige plenamente a Deus Pai. Vamos rezar, devagar, esta oração prestando atenção nas palavras e na aclamação final
“Pois, vosso é o Reino, o Poder e a Glória para sempre. Amém! (3 vezes)”

Canto final:
Porque és, Senhor, o Caminho que devemos nós seguir,
Nós vos damos, hoje e sempre, toda a glória e louvor.
Porque és, Senhor, a Verdade que devemos aceitar,
Nós vos damos, hoje e sempre, toda a glória e louvor.
Porque és, Senhor, plena Vida que devemos nós viver.
Nós vos damos, hoje e sempre, toda a glória e louvor.

 

Inês Broshuis
Assessora da Comissão Arquidiocesana de catequese de BH