Você está em:

 

Defesa da Serra da Piedade

 

A Arquidiocese de Belo Horizonte expressa, por seu Arcebispo Metropolitano, sua posição inarredável de preservação e defesa de todo o território e entorno da Serra da Piedade, incluindo o conjunto religioso, arquitetônico e paisagístico, onde se localiza o Santuário Nossa Senhora da Piedade. Este compromisso, que precisa contar com o apoio de todos os fiéis, dos homens e mulheres de boa vontade, se contrapõe frontalmente a intenções e interesses na contramão da preservação. A Arquidiocese esclarece a verdade e mostra a inverdade constituída pela citação do nome de Dom Walmor Oliveira de Azevedo na audiência pública realizada em Sabará, dando a entender, dolosamente, que a Arquidiocese de Belo Horizonte aceitaria qualquer ação para favorecer atividade minerária na Serra da Piedade. Trata-se de um ato inescrupuloso, desrespeitoso e interesseiro. Tal inverdade atinge a pessoa do Arcebispo e a Arquidiocese. Por esta inverdade, no dia 12 de novembro de 2013, foi protocolado na Superintendência de Regularização Ambiental (SEMAD), a resposta, como se lê no fim deste texto, em documento da Assessoria Corporativa Jurídica, esclarecendo a posição da Arquidiocese de Belo Horizonte.

 

Posição claramente destacada em vários artigos do Arcebispo, divulgados em meios de comunicação de todo o Brasil. Especialmente o do dia 8 de novembro de 2013, em que Dom Walmor alerta: “A exploração perversa do meio ambiente, tratamento inadequado da natureza, criação e dom de Deus, é resultado da necessidade impulsiva e descontrolada de satisfazer os propósitos de quem produz e de quem consome. (…) a distância da natureza gera priorização de interesses mesquinhos, projetos que ‘fazem figura’, produzem ‘vista grossa’ de órgãos reguladores e controladores, um desrespeito ao sentido humano, espiritual e cultural que vem da história de um povo. (…) Royalties são necessários? Natureza, patrimônio cultural, religiosidade, valores e vida simples são mais importantes.”

 

A Arquidiocese pergunta: Por que é necessário lavrar para recuperar a Serra da Piedade? Assim, questiona seriamente a decisão de lavrar o que foi abominavelmente produzido nas encostas da Serra da Piedade. Por isso mesmo, a Arquidiocese está se organizando para um grande movimento, em prosseguimento ao seu árduo trabalho pela defesa da Serra da Piedade. A Arquidiocese convoca a participação e ajuda da população, fiéis e devotos de Nossa Senhora da Piedade, para um posicionamento firme em defesa irrestrita da Serra da Piedade. Um ato coerente, de fidelidade, ao que se diz, durante oração à Nossa Senhora da Piedade: “Herança nossa que vamos sempre preservar e defender”.