Você está em:

Dom Walmor: uma nova missão com a presidência da CNBB

Dom Walmor tomou posse na presidência da Conferência Nacional dos Bispos do Brasil (CNBB) na manhã desta sexta-feira, dia 10, durante a sessão de encerramento da 57ª Assembleia Geral dos Bispos, em Aparecida (SP). O Arcebispo metropolitano de Belo Horizonte estará na condução da  CNBB durante o quadriênio 2019-2023. Dom Sérgio da Rocha, que concluiu o mandato na presidência da instituição, entregou a dom Walmor o documento com as Diretrizes da Ação Evangelizadora no País. Foram empossados o 1º vice-presidente, dom Jaime Spengler, arcebispo de Porto Alegre (RS), o 2º vice-presidente, dom Mário Antonio Silva, bispo de Roraima, e o secretário-geral, dom Joel Portella Amado, bispo auxiliar do Rio de Janeiro.

Os presidentes das 12 comissões episcopais da CNBB também tomaram posse, dentre eles, o bispo auxiliar da Arquidiocese de Belo Horizonte e reitor da PUC Minas, dom Joaquim Mol, eleito presidente da Comissão Episcopal Pastoral para a Comunicação Social.

Dom Walmor saudou o núncio apostólico dom Giovanne Danielo, que transmitiu a toda assembleia a mensagem do Papa Francisco, e ressaltou a comunhão da Igreja no Brasil com o Papa Francisco “percorrendo o bonito caminho de sermos igreja em saída, cada vez mais missionária hospitaleira, corajosa, anunciando o evangelho no coração do mundo.”

O Arcebispo lembrou a convicção de todos os bispos de que “não há nada de melhor a oferecer ao mundo e à sociedade que o Evangelho de Jesus Cristo, para abrir um novo caminho, com uma nova compreensão, e reencontrarmos os rumos de uma sociedade mais justa, fraterna e solidária, enquanto anunciamos o reino definitivo”.

Dom Walmor destacou o importante trabalho realizado pela presidência da CNBB nos últimos quatro anos. “Com muita amizade, quero saudar nosso querido dom Sérgio da Rocha, presidente; dom Murilo Krieger, vice-presidente e dom Leonardo Steiner, secretário-geral, reconhecendo o bonito caminho percorrido com todas as comissões episcopais e os colaboradores da CNBB, em meio a muitas dificuldades, mas com muitos avanços. Suas importantes conquistas nos dão a condição de prosseguir e ao mesmo tempo a responsabilidade de fazer mais, porque muito se fez nesses quatro anos. Por isso, como fiz hoje durante a missa, peço uma salva de palmas para todos eles”.

Ao se dirigir aos bispos presentes, dom Walmor ressaltou a colegialidade que prevaleceu durante toda a Assembleia, mesmo em meio a dificuldades e desafios. “Foi um exercício muito bonito de fraternidade entre nós, mostrando que essa é nossa grande força. Podemos ter nossas diferenças, que são muitas e, graças a Deus, são uma grande força de enriquecimento para nossa Igreja, firmando cada vez mais essa autoridade que nossa Igreja tem na alegria de sermos nela servidores. Por isso, minha saudação é uma reverência ao caminho missionário de cada igreja particular, a seus bispos, com seus sofrimentos e desafios, junto com o clero e sua comunidade. Tudo isso é de uma beleza encantadora . Emociona projetar um filme do que é a vida de cada irmão bispo”. Dom Walmor saudou a presidência dos regionais da CNBB, ressaltando a importância de cada um para o trabalho da Conferência.

O novo presidente da CNBB refletiu ainda sobre as muitas dificuldades e a complexidade “quase indescritível” que envolve o momento atual que, ao mesmo são uma grande oportunidade, “porque temos o Evangelho de Jesus, temos fé, somos discípulos. Assim, essa é uma oportunidade incrível, talvez inigualável de darmos respostas novas, bonitas, não só como igreja, em seu interior, mas como igreja, ajudando a nossa sociedade brasileira a encontrar um novo caminho”.

O Arcebispo lembrou o compromisso de todos os integrantes da igreja, especialmente dos bispos, de ser presença amorosa na vida de cada pessoa. “O que de fato vale é o gesto de amor, a fé desdobrada em gestos. Como a Palavra de Deus nos mostra, o Apóstolo Paulo aprendeu uma nova loja e nós podemos aprender uma nova lógica na força do valor do Evangelho.

Após a solenidade de posse e o encerramento da Assembleia, os novos integrantes da presidência da CNBB concederam entrevista a jornalistas.