Você está em:

Dom Mol preside 6°Encontro de Padres Cantores em Brasília

Nesa terça-feira, 10 de março, o bispo auxiliar dom Joaquim Mol presidiu o 6° Encontro de Padres Cantores, na sede da Conferência Nacional dos Bispos do Brasil (CNBB), em Brasília (DF). Organizado pela Comissão Episcopal Pastoral para a Comunicação da CNBB, a iniciativa, que reuniu cerca de 15 padres, buscou refletir sobre as perspectivas pastorais para os padres cantores na Igreja do Brasil.

Dom Mol, que é presidente da Comissão, disse que a proposta é justamente promover a trocar de experiências entre os participantes: “Felizmente temos conseguido reunir um pequeno grupo com a esperança de que a gente consiga também a adesão de muitos outros padres para criar uma comunhão também neste campo da Igreja no Brasil”.

Como parte da programação, os padres participaram de uma roda de conversa sobre “as perspectivas pastorais para os padres cantores na Igreja do Brasil”. “A ideia é buscarmos à luz das Diretrizes Gerais da Ação Evangelizadora da igreja no Brasil um alinhamento mínimo, de modo que mesmo falando palavras diferentes e de formas diferentes estejamos falando do mesmo Evangelho”, explicou  dom Mol.

Ainda dentro da proposta da temática central, os padres juntamente com os membros da Comissão elaboraram propostas para a definição de um plano quadrienal. “Ouvindo-os vamos planejar os próximos três anos de acompanhamento pastoral dos padres cantores da Igreja no Brasil”, afirmou padre Tiago Sibula.

Padre Ezequiel Dal Pozzo, da diocese de Caxias do Sul, no Rio Grande do Sul, disse que a iniciativa proposta pela Comissão era de comunhão. “Acho que é uma iniciativa para criar comunhão e, ao mesmo tempo, para perceber as iniciativas que podemos ter juntos para respondermos aos desafios do nosso tempo”, disse. Cantor e compositor, o sacerdote percorre o Brasil com shows, palestras, missas e pregações, difundindo a ideia de que Deus é amor e está continuamente presente em nossos dias.

O encontro terminou no final da tarde com a oração e benção de envio dos padres. “Saio daqui com a seguinte perspectiva: o que precisamos fazer para atingir mais o coração das pessoas e para sermos mais fecundos naquilo que fazemos?”, finalizou o padre Ezequiel.