Você está em:

Dom Airton inicia o ministério de arcebispo em Mariana

Fiéis das comunidades de fé da Arquidiocese de Mariana participaram com alegria da Missa que marcou o início o início do ministério de dom Airton José dos Santos, sexto arcebispo da primeira arquidiocese de Minas. A celebração foi sábado, 23 de junho.

Em clima de festa e alegria, centenas de padres, seminaristas e bispos saíram em procissão do Santuário de Nossa Senhora do Carmo até a Catedral de Nossa Senhora da Assunção, onde dom Airton foi recebido pelo vigário geral da Arquidiocese, monsenhor Celso Murilo Souza.

Durante o rito da posse canônica, dom Geraldo Lyrio Rocha, agora Arcebispo Emérito, deu boas-vindas e saudou dom Airton. “Esta Arquidiocese, com suas 135 paróquias distribuídas pelos 79 municípios compreendidos por esta circunscrição eclesiástica, abre suas portas para acolhê-lo como seu novo pastor. Sabemos que a aceitação deste encargo é motivado pelo seu lema episcopal: “Que eu faça, ó Deus, a tua vontade”. Esta foi sua atitude ao aceitar a escolha para o ministério episcopal, como bispo auxiliar da Diocese de Santo André. Assim foi também quando assumiu a Diocese de Mogi das Cruzes. Do mesmo modo quando o Santo Padre o designou Arcebispo Metropolitano da Arquidiocese de Campinas. De fato, na vida, o que importa é fazer a vontade de Deus, seguindo as pegadas do Mestre: “Eu vim não para fazer a minha vontade, mas a vontade daquele que me enviou”, disse.

Após o rito, dom Airton presidiu, na Praça da Sé, uma Missa, que foi concelebrada por dom Geraldo e pelo presidente do Regional Leste 2 (Minas Gerais e Espírito Santo) da Conferência Nacional dos Bispos do Brasil, dom Paulo Mendes Peixoto. Em sua primeira homilia, o novo arcebispo ressaltou a riqueza da Arquidiocese de Mariana.“A Arquidiocese de Mariana tem uma história muito rica, em todos os sentidos. Mas a história desta Igreja particular não é uma história feita apenas de momentos, é uma história feita de pessoas. Ai se não existissem as pessoas que existiram antes de nós. Ai se nós não pudéssemos contar com o dinamismo, com a certeza e com o valor que têm os irmãos e irmãs que nos antecederam. Eles continuam presentes nesta Igreja. Homens e mulheres que deram suas vidas para que a fé fosse pura, transparente, objetiva, direta para realizar a vontade de Deus no meio do seu povo”, ressaltou o Arcebispo.

Dom Airton citou, também, a vida exemplar de dom Luciano e dom Viçoso. “Pessoas que hoje nós olhamos com louvor, olhamos com atenção. Estão próximos de nós e nos inspiram”.