Você está em:

Deus é aquele que é, e eu?

 
 “Não és mais santo porque te louvam, nem pior porque te censuram.” 
 
Jesus experimentou na carne que a glória do mundo dura muito pouco. Entrou gloriosamente em Jerusalém e logo se encontrou diante de um povo que gritava: “Crucifica-o!”. A glória do mundo é acompanhada de tristeza porque é ilusão, é frágil, passa logo. Se nossa glória está na boca dos homens, pobres de nós! 
 
“És o que és, nem te podem os louvores fazer maior do que és aos olhos de Deus.” (Imitação de Cristo, Livro II, Cap 6, 3) 
Façamos hoje a experiência de entrar em nós mesmos. Talvez hoje devamos entrar pela fenda do nosso próprio lado aberto. Entremos por ele e nos escondamos em nosso interior onde encontramos a verdade. É lá que o Senhor nos diz se somos dignos de censura e é lá também que Ele nos faz ver o valor que temos para Ele. Valor imutável que depende dele, não de nós e menos ainda do que dizem de bom ou de mau sobre nós. 
 
Nosso interior está diante dele e é isso o que mais nos importa: quem somos diante dele. Assim, de fato, não nos afetarão os elogios nem as censuras, pois só importa o que somos diante dele. E mesmo que Ele nos repreenda muitas vezes por causa de nossos muitos pecados, se estivermos diante dele, experimentaremos aquela humilhação libertadora que experimentou o filho pródigo ao retornar à casa do pai e receber seu abraço amoroso. 
 
“Aquele que não procura o testemunho favorável dos homens mostra que está todo entregue  a Deus”.  (Imitação de Cristo, Livro II, Cap 6, 4 ) 
Meus irmãos, Deus nos chama à fidelidade. Não adianta ser fiel diante dos homens. Não adianta usar uma cruz no peito sem se revestir de Cristo. O que nos adiantará sermos julgados fiéis pelos homens, se Deus nos desaprova? O que adiantaria para um marido que seus amigos lhe dissessem que ele tem uma mulher excelente, se na intimidade dos dois ela é péssima esposa? 
 
Com muita humildade e profunda confiança, entreguemo-nos inteiramente a Deus neste dia para que Ele nos ensine os sentimentos do Filho. E por Suas mãos amorosas, imitemos Aquele que é o Santo, o Justo, o Verdadeiro Deus!
 
 
Ludmila Rocha Dorella
Consagrada da Comunidade de Vida
Formadora Geral