Você está em:

Peregrinação da Rensa ao Santuário da Padroeira de Minas: veja mais fotos desse momento especial


Fiéis das paróquias que integram a Região Episcopal Nossa Senhora Aparecida (Rensa) peregrinaram ao Santuário Nossa Senhora da Piedade – Padroeira de Minas Gerais, no sábado, dia 18, momento em que também rezaram pelo ministério de dom Otacílio Lacerda, bispo auxiliar da Arquidiocese de Belo Horizonte, ordenado neste fim de semana. Na Arquidiocese de Belo Horizonte, dom Otacílio será bispo referencial da Rensa.

Aproximadamente dois mil peregrinos estiveram no Santuário e participaram da Celebração Eucarística presidida pelo vigário episcopal da Região, padre Jerzy Wydrych. Antes, subiram o caminho rumo ao Santuário em procissão. Padre Jerzy, em entrevista à TV Globo, destacou que há 250 anos fiéis peregrinam ao Santuário da Padroeira de Minas Gerais. “A tradição diz que uma moça, surda e muda, presenciou a aparição de Nossa Senhora e depois desse acontecimento passou a falar e a ouvir. Uma história que se espalhou e atraiu peregrinos até o Santuário”, conta o sacerdote.

Padre Jerzy, durante a Missa, destacou que a peregrinação da Região Episcopal Nossa Senhora Aparecida tem a finalidade de unir os fiéis cada vez mais, na fé, no amor e na esperança aos pés de Maria, que é uma expressão muito grande do amor de Deus. “Eu tenho certeza de que vindo aqui com essa diversidade de pessoas e paróquias, todos podem experimentar o que vem de Deus”, comentou o sacerdote.

O Vigário Episcopal da Rensa lembra ainda que a peregrinação é tradição muito antiga, desde os tempos do antigo testamento. Fazendo referência a passagens bíblicas, padre Jerzy cita Moisés, que ficou quarenta anos peregrinando pelo deserto em busca da “terra prometida”. E sublinha que o próprio Jesus peregrinou até Jerusalém. “Desejo que a peregrinação ao Santuário Nossa Senhora da Piedade se transforme em gestos concretos de acolhimento, de misericórdia, de compaixão, de bondade, de paz e de amor no nosso dia a dia”, finalizou.

O aposentado José Nivaldo participa, todos os anos, da peregrinação e diz se sentir, no Santuário, mais próximo de Cristo. Ele lembra que Jesus também “subiu no monte para rezar”, fazendo referência a passagens bíblicas. Já o estudante Lucas Rovesse ressaltou que todos devem peregrinar ao Santuário, pessoas de todas as idades. Com 81 anos, dona Cecília acrescenta: visitar a Casa da Padroeira de Minas Gerais é “buscar as coisas de Deus”. “Aqui é um pedacinho do céu”, resume.

Veja mais fotos da peregrinação da Rensa ao Santuário da Padroeira de Minas Gerais

 

VEJA TAMBÉM