Você está em:

Creche dedica-se ao cuidado com as crianças e a família


 

A creche comunitária da Paróquia Cristo Operário, no bairro Planalto, em Belo Horizonte, é exemplo de amor e cidadania. Onze funcionários entre professoras, coordenadoras, cozinheiras e auxiliares de limpeza cuidam, em tempo integral, de 80 crianças, com idades entre 2 e 5 anos, das comunidades Vila São Tomaz de Aquino, Biquinhas, Conjunto Habitacional Campo Alegre, Vila Clóris, São Bernardo e Heliópolis.  Elas são filhas de pais que não têm com quem deixar os filhos para trabalhar, nem condições para arcar com a mensalidade de um serviço particular.

Na Creche, além da alimentação balanceada, as crianças são preparadas para ingressar no ensino fundamental, conforme o plano pedagógico proposto pela  Secretaria Municipal de Educação.

Os objetivos do trabalho realizado vão além da preocupação com o ensino formal, como explica Alcione Gabriele Ferreira, coordenadora administrativa da creche.  Ser presença transformadora na comunidade, uma busca constante de toda a equipe, faz da Creche Comunitária Cristo Operário referência para as famílias da região. Elas são convidadas a participar de palestras com psicólogos, de reuniões com os pais e de festas que têm caráter pedagógico, como o dia das mães, dos pais, dia da família, festa junina etc.

Noções de cidadania e convívio social fazem parte do aprendizado. “De acordo com o plano de ação, há metas para trabalhar com as crianças conceitos e valores de igualdade racial, social e religioso. Trabalha-se também: convivência, respeito, amizade e solidariedade”, explica a coordenaddora.

A comunidade, por sua vez, demostra interesse contribuindo financeiramente e com participação efetiva. “A Paróquia também. Além de ceder o espaço para funcionamento da creche, costuma colaborar financeiramente”. Afirma Alcione Ferreira.

 

Mesmo havendo convênio com o poder público, segundo a coordenadora administrativa, manter a Creche para 80 crianças, em tempo integral, é desafio constante, principalmente pelo alto custo financeiro.

As dificuldades, contudo, não desanimam a equipe. “Nosso retorno é perceber que as crianças estão aprendendo, sendo bem cuidadas e se desenvolvendo” – afirma Alcione Ferreira.