Você está em:

Começa o processo de beatificação do monsenhor Domingos Evangelista Pinheiro

Com a Basílica das Romarias repleta de fiéis, no Santuário Basílica Nossa Senhora da Piedade – Padroeira de Minas Gerais, tem início a primeira fase do processo de beatificação do monsenhor Domingos Evangelista Pinheiro, mineiro de Caeté, padre da Arquidiocese de Belo Horizonte. O momento especial, celebrado neste sábado, 15 de setembro, Dia de Nossa Senhora da Piedade – Padroeira de Minas Gerais, emocionou fiéis e, de modo ainda mais especial, as religiosas da Congregação das Irmãs Auxiliares de Nossa Senhora da Piedade. Monsenhor Domingos foi o fundador da Congregação, no século 19, quando também estava à frente dos trabalhos de evangelização no Santuário Basílica da Padroeira de Minas Gerais.

O arcebispo metropolitano de Belo Horizonte, dom Walmor Oliveira de Azevedo, destaca que monsenhor Domingos, a partir da devoção a Nossa Senhora da Piedade, iniciou um caminho bonito de cuidado com os pobres, de compromisso com a educação, de proclamação da Palavra de Deus. “É um ouro de Minas Gerais, nascido em Caeté, indicando para a Igreja do mundo inteiro que aqui percorremos o caminho da obediência da fé, na condição de discípulos e discípulas de Jesus”.

A madre superiora da Congregação das Irmãs Auxiliares de Nossa Senhora da Piedade, Irmã Teresa Cristina Leite, destaca o trabalho de monsenhor Domingos na acolhida de crianças, libertas pela Lei do Ventre Livre. A Lei, promulgada em 1871, garantia liberdade às filhas de escravos. Porém, conforme explica a Madre Teresa Leite, essas crianças ainda sofriam, pois suas mães continuavam escravas. “Monsenhor fez uma escola para essas crianças, possibilitou que elas se formassem e tornassem professoras, as primeiras professoras negras do Brasil”, conta. A religiosa acrescenta que existem muitos relatos de milagres atribuídos a monsenhor Domingos, mas ressalta: “A obra de nosso fundador, a transformação do ser humano, é seu maior milagre. A mulher escravizada, o racismo, foram temas enfrentados por monsenhor Domingos. E se refletirmos, esses temas ainda são atuais.”

O postulador da Causa dos Santos enviado pelo Vaticano, Paolo Villota, explica que o processo de beatificação, em sua primeira fase, será voltado para a investigação da história e da fama de santidade do monsenhor Domingos. “Serão ouvidas pessoas mais idosas, de gerações mais próximas à do monsenhor Domingos. Posteriormente, todos os documentos serão enviados para o Vaticano, que dará início à fase romana”. O postulador do Vaticano ressalta a coragem de monsenhor Domingos, “que enfrentou o seu contexto histórico e ofereceu ajuda aos negros, aos escravos. É também o primeiro brasileiro a fundar uma Congregação Religiosa, um feito a ser destacado”.

Conhecido como o Evangelista da Piedade, monsenhor Domingos Evangelista Pinheiro viveu o despertar de sua vocação para o sacerdócio durante suas peregrinações ao Santuário Basílica Nossa Senhora da Piedade, no século 18. Depois de ser ordenado padre, tornou-se guardião do Santuário e criou, aos pés da Serra da Piedade, o educandário que acolhia filhas de escravos. Para ajudar no cuidado das crianças e do Santuário, monsenhor Domingos fundou a Congregação das Irmãs Auxiliares de Nossa Senhora da Piedade, hoje presente em diversos estados brasileiros, com iniciativas voltadas para o campo da educação. Atualmente, as religiosas também continuam a se dedicar ao Santuário Basílica da Padroeira de Minas Gerais, trabalhando na acolhida de peregrinos.

Destaques da imprensa:

TV Band (Nacional)

TV Globo

Rede Minas

Rede Canção Nova

Jornal Estado de Minas

G1

Jornal O Tempo

Revista Isto É

Jornal Hoje em Dia

Folha de São Paulo

Rádio Itatiaia