Você está em:

Começa a 57ª Assembleia Geral da Conferência Nacional dos Bispos do Brasil

O arcebispo dom Walmor e os bispos auxiliares da Arquidiocese de Belo Horizonte dom Joaquim Mol, dom Edson Oriolo, dom Geovane Luís da Silva, dom Otacilio Ferreira de Lacerda e dom Vicente Ferreira participam com bispos de todo o Brasil da 57ª Assembleia Geral da Conferência Nacional dos Bispos do Brasil (AGCNBB). Durante a Assembleia, serão definidas as novas diretrizes da Ação Evangelizadora da Igreja no Brasil. Também será eleita a nova presidência da CNBB para o próximo quadriênio.

Para dar início aos trabalhos, foi celebrada Missa no Santuário Nacional Nossa Senhora Aparecida, às 7h30, na manhã desta quarta-feira, dia 1º de maio.

Durante a homilia, o arcebispo de Brasília e presidente da CNBB, cardeal Dom Sergio da Rocha, pediu a oração dos fiéis pela unidade dos bispos reunidos e pelo bom êxito dos trabalhos durante a Assembleia Geral. “Em nome dos bispos aqui reunidos, eu peço encarecidamente a oração da Igreja e de todo o Brasil pela Assembleia Geral que está sendo iniciada. Esta é uma Assembleia de especial importância, pois nela serão aprovadas as Diretrizes da Ação Evangelizadora da Igreja no Brasil para os próximos quatro anos e nela serão eleitos os membros da presidência da CNBB e os presidentes das comissões episcopais e pastorais. Por isso, rezem pelos trabalhos pastorais”, disse.

Dom Sergio destacou, ainda, que são inúmeros os desafios enfrentados pela Igreja no Brasil e que o episcopado brasileiro reunido nesta assembleia buscará responder a eles. “A Igreja coloca-se à escuta do Senhor para melhor discernir o que Ele quer de nós no cumprimento do mandato do Seu Pai, de ir, de sair, de fazer discípulos e de testemunhar a Boa Nova”, afirmou.

A Assembleia tem início no dia dedicado a São José Operário, padroeiro dos trabalhadores. “Com São José nós queremos aprender sempre mais a ser justos, a viver na santidade no dia a dia da vida, nas diversas profissões, nos diversos estágios de vida. Recordemos que o Senhor da nossa Igreja, o Senhor no qual nós cremos e ao qual seguimos é chamado no Evangelho de ‘o filho do carpinteiro’”, disse Dom Sérgio, recordando de modo especial os trabalhadores mais fragilizados, os que sofrem com o desemprego e com a falta de condições dignas de trabalho. “A todos, as nossas orações, a nossa proximidade fraterna desejando-lhes paz e esperança no Senhor ressuscitado”, completou.