Você está em:

Com estudo e lazer, obra social mantém crianças longe das ruas

 

Um espaço muito especial para o aprendizado e a diversão. Assim é a Casa do Pequeno Cristo que acolhe 80 crianças e adolescentes do Morro das Pedras, dos seis aos 14 anos de idade. O objetivo é promover e instruir esses jovens, por meio de acompanhamento pedagógico, oficinas de cultura e arte, espiritualidade e trabalhos manuais. A instituição foi fundada em 1992 para receber meninos e meninas, fora do horário escolar. Lá, eles também frequentam aulas de informática e são incentivados a praticar esportes.

Os pais e os responsáveis, moradores do Morro das Pedras e região, que trabalham fora e não têm com quem deixar os filhos, encontram na Casa do Pequeno Cristo um lugar em que podem confiar.

Aos 23 anos, a instituição, agora, enfrenta um desafio que pretende superar com a generosidade da comunidade. Segundo, Sebastiana Maria Pereira Halabi, membro da diretoria da Associação, a necessidade agora é construir uma nova sede, pois o atual prédio que abriga a obra social está interditado pela Cemig por se encontrar sob uma linha de alta tensão. “Já existe um terreno e um projeto, e até a pedra fundamental do novo prédio foi abençoada pelo nosso arcebispo, dom Walmor. Porém, falta-nos recursos que esperamos reunir com doações, para começar a obra no prazo determinado, em março de 2016” – explica. As pessoas que desejarem ajudar podem entrar em contato pelos telefones  3334-1188, 98887-7248 ou 99659-4667.

Até a conclusão da nova casa, as crianças continuam sendo recebidas como sempre. De manhã, com um nutritivo café e, depois de fazerem a tarefa, participam de atividades pedagógicas. Dever cumprido, é hora de brincar, e praticar esportes como futebol, queimada e vôlei, ou de se dedicar às artes, trabalhos manuais, leitura e informática.

Ao final da manhã é hora de lavar as mãos e almoçar. A alegria toma conta do refeitório, repleto e crianças que, à tarde, seguem para a escola formal.  Para quem estuda de manhã, a rotina é praticamente a mesma, só que no período da tarde. Um saboroso jantar, feito com todo carinho, encerra as atividades do dia.

Para a criança fazer parte da Casa do Pequeno Cristo, os pais precisam preencher um cadastro. Ela só será contemplada com a vaga após comprovada – por meio de sindicância- a necessidade da família.

Cerca de sete funcionários atuam nessa obra, com a ajuda de voluntários que doam seu tempo e trabalho realizando atendimentos nas áreas  de odontologia, psicologia e nutrição. 

A integração com a família é um ponto importante do trabalho. Os pais são convidados para reuniões, geralmente realizadas nos fins de semana, para que a entidade obtenha deles avaliação sobre do trabalho. As festas na semana das crianças – celebrada junto com o aniversário da Casa,  em outubro -, Dia dos Pais, Dia das Mães, Páscoa e Natal são oportunidades de integração entre a instituição, a paróquia e os familiares das crianças.  Uma preocupação do  presidente do conselho diretor da Obra,  pároco,  padre José Roberto de Abreu e Silva, que acompanha as ações administrativas e operações da Casa do Pequeno Cristo. Um ambiente onde o amor e a dedicação ajudam na formação humana e social de quem vive em situação de vulnerabilidade social.