Você está em:

 

Estamos percorrendo um caminho que nos ajuda no processo de um novo jeito de evangelizar. Várias são as modalidades e metodologias.  Nesse caminho, vamos sempre nos encontrar com a Palavra de Deus que nos dá a direção e o sentido de nele permanecer.

Sabemos que são muitos os desafios que nos interpelam nos tempos atuais. Para superá-los, é preciso estar atentos a um processo de evangelização que inclua as várias dimensões da pessoa e suas relações umas com as outras. Nele, é necessário dar especial atenção à verdadeira espiritualidade, onde o ponto de partida seja o diálogo com Deus, que nos abre para a dinâmica da alteridade.  Nesse processo de evangelização, devemos valorizar o resgate das mediações simbólicas, tão fundamentais para expressar a experiência religiosa.

Um dos primeiros passos é nos colocarmos no caminho de Jesus para apreendermos o seu jeito de dialogar com as pessoas, o modo com que usa as palavras, os gestos e os sinais diferentes, para os diferentes grupos com os quais ele se relacionava.

Para o povo mais simples Jesus conta histórias, fala por meio de parábolas e utiliza elementos da cultura presente na sua realidade: naquele tempo, uma cultura rural.  Para o povo judaico, em seus diversos grupos, o Mestre propõe a releitura de seus conhecimentos e imagens de Deus que vão interpelar sua prática.
 

Jesus também se utiliza de diversos critérios e medidas, avaliando sua forma de agir e de se comunicar com as pessoas dos diferentes grupos e realidades

Ao falar em parábolas Jesus faz narrativas breves, utilizando-se de palavras simples e do conteúdo alegórico com a finalidade de transmitir ensinamento. Esse método de narrativa alegórica, quando Jesus vai relatando fatos naturais ou acontecimentos possíveis, tem sempre como objetivo declarar ou ilustrar uma ou mais verdades.

Jesus também utiliza diversos critérios e medidas, avaliando sua forma de agir e de se comunicar com as pessoas dos diferentes grupos e realidades.

Ele não só ensina, mas ajuda os discípulos e o povo a terem maior compreensão da própria existência à luz de Deus e de seu Reino. Acompanha as pessoas em seus raciocínios e discernimentos, faz pensar, deixa perguntas no ar, desequilibra seus ouvintes. Tudo em prol da aprendizagem.

Jesus ministra suas mensagens em todos os níveis sociais. Profere várias de suas parábolas referindo-se diretamente ao Reino de Deus. Ele fala de um novo Reino espiritual. Muitos não o compreedem. Mas Jesus procura, por meio de sua palavra, levar aos ouvintes a mensagem de salvação e convidá-los à conversão. Quando seus discípulos não entendem as suas parábolas, Ele para e explica, interpretando-as. Em relação aos crentes, desafia-os a colocar a fé em prática.

Vejamos em algumas passagens no Evangelho de Marcos como Jesus diferencia momentos de formação em que ensina a toda gente (Mc 4,2.33; 5,15.34) de outros em que fala particularmente aos discípulos (Mc 4,10.34; 6,30-32).

Estas são algumas das características da pedagogia de Jesus que estão presentes na sua forma de anunciar o Reino e de agir diante das diversas situações que encontra pelos caminhos.

Com a  Bíblia na mão, vamos refletir sobre esses ensinamentos de Jesus. Eles continuam atuais para a nossa realidade. Não são apenas ensinamentos intelectuais ou doutrinais, mas propostas de seguimento de Jesus para aqueles que aderem à sua pessoa. Jesus é o mestre educador do homem e da mulher novos e da sociedade. Ele é a Revelação dinâmica do rosto de Deus e de sua ação no mundo.

 

Neuza Silveira de Souza
Comissão Arquidiocesana Bíblico-Catequética de Belo Horizonte